Assinar


Marinha Grande

Prisão preventiva para dois suspeitos de homicídio tentado na Marinha Grande

Os arguidos são ainda suspeitos dos crimes de dano e detenção de arma proibida.

Faixa da Polícia Judiciária

Os dois homens suspeitos de vários crimes, incluindo homicídio tentado, praticado com arma de fogo, na zona da Marinha Grande, distrito de Leiria, vão aguardar julgamento em prisão preventiva e proibidos de contactar familiares, anunciou hoje o Ministério Público.

De acordo com informação disponibilizada no sítio na internet da Procuradoria da República da Comarca de Leiria, os factos ocorreram no dia 20 de maio, “quando a vítima se encontrava apeada, na via pública”.

“Nessas circunstâncias, os dois arguidos, de comum acordo, formularam o propósito de matar a vítima, tendo um deles, para o efeito, efetuado um disparo com uma arma de fogo em direção à mesma, atingindo-a no abdómen”, refere a Procuradoria.

Depois, os suspeitos “entraram no veículo em que se faziam transportar e, ao passarem pela vítima, um deles efetuou mais dois disparos com a arma de fogo na sua direção, atingindo-a na perna direita, abandonando aqueles, logo a seguir, o local”.

“A vítima foi socorrida por terceiros e transportada para o hospital, onde foi submetida a uma cirurgia, apresentando lesões e ferimentos no abdómen e na perna direita”, esclarece a Procuradoria.

Na sexta-feira, em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) explicou que, “na sequência de distúrbios provocados pelos arguidos, em contenda familiar, foram disparados vários tiros contra um edifício e contra um homem de 47 anos de idade que correu perigo de vida”.

Segundo o mesmo comunicado, os arguidos, de 31 e 55 anos, deslocaram-se “para paradeiro incerto, não prestando qualquer socorro à vítima”.

A PJ adiantou que, através do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, “foram realizadas buscas domiciliárias” e detidos os dois suspeitos, vendedores ambulantes de profissão, em cumprimento de mandados de detenção emitidos pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Leiria.

Fonte da PJ acrescentou à Lusa que os arguidos, detidos na Marinha Grande, são ainda suspeitos dos crimes de dano e detenção de arma proibida, precisando que dos disparos efetuados dois atingiram a vítima.

A Procuradoria da República da Comarca de Leiria esclarece que a investigação prossegue sob a direção do Ministério Público da 1.ª Secção do DIAP de Leiria, com a coadjuvação do Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.