Assinar
Leiria

Há o “rei dos frangos” nas buscas relacionadas com o Benfica e o “Rei dos Frangos” de Leiria. São “reis” diferentes

Empresa de Leiria foi obrigada a emitir comunicado a explicar que nada tem a ver com o que denomina de “circo metáforico ´do rei dos frangos’, nem com nenhuma das pessoas envolvidas” no caso

Está sedeada em Leiria, tem décadas de existência e foi arrastada para a polémica em torno do Benfica. Mas nada tem a ver com o caso, volta a recordar, em comunicado, a empresa “Churrasqueiras Rei dos Frangos, Lda”, com sede em Leiria e com 19 churrasqueiras take-away espalhadas pelo país.

Em comunicado hoje tornado público, a empresa de Leiria sublinhou que “nada  tem a ver” com o que denomina de “circo metáforico ´do rei dos frangos’, nem com nenhuma das pessoas envolvidas” no caso.

Na origem da confusão está o facto de o empresário José António dos Santos, usualmente conhecido como “rei dos frangos” ter sido alvo de buscas no âmbito do caso que também envolve o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

É que o Ministério Público deteve hoje um dirigente desportivo, dois empresários e um agente do futebol e realizou cerca de 45 mandados de busca a sociedades, residências, escritórios de advogados e uma instituição bancária, em Lisboa, Torres Vedras e Braga.

Esta informação consta de um comunicado do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), que não revela os nomes dos arguidos, porém, fonte ligada ao processo, confirmou à agência Lusa que um dos detidos é o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

No comunicado do DCIAP, os quatro detidos, que segundo vários órgãos de comunicação social são, além de Luís Filipe Vieira, o seu filho Tiago Vieira, o empresário José António dos Santos, conhecido como “o rei dos frangos”, e o agente desportivo Bruno Macedo, são suspeitos de estarem envolvidos num processo em que se investiga “negócios e financiamentos em montante total superior a 100 milhões de euros, que poderão ter acarretado elevados prejuízos para o Estado e para algumas das sociedades”.

Refere o Ministério Público que em causa no processo estão “factos ocorridos, essencialmente, a partir de 2014 e até ao presente” e suscetíveis de serem “crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento”.

Ora, José António dos Santos é empresário fundador da empresa Valouro, empresa distinta da “Churrasqueiras Rei dos Frangos, Lda”, esta sim, de Leiria.

Todavia, em virtude de ser responsável por um grupo económico com atividade na área da produção das aves, José António dos Santos é muitas vezes referido como sendo o “rei dos frangos”.

O caso rebentou esta tarde e a empresa de Leiria, que adianta ter tem direitos sobre a marca comercial “Rei dos Frangos”, confessa: “hoje, temos clientes, fornecedores e amigos a perguntar, a ligar e a comentar consecutivamente, sem já conseguirem distinguir uma metáfora demasiadamente disseminada, estupefactos sobre o que (não) está a acontecer”.

“Nenhuma das nossas lojas nem a nossa sede foi alvo de buscas por qualquer núcleo de investigação ou instituição de segurança pública”, reforça em comunicado a empresa de Leiria.

A única ligação entre as duas empresas está no frango, afinal.

“Não existe nem existiu qualquer relação empresarial entre a nossa empresa e o Sr. José António dos Santos além da natural interação comercial entre fornecedor e comprador”, explica a empresa de Leiria.

É que a Avibom, uma das empresas do Grupo Valouro, “vende matéria-prima à Churrasqueiras Rei dos Frangos, concretamente, frango. Porque é de assar frango que nós percebemos, de acções e SADs… nem tanto”, reforçam.

Com Lusa

Nota: Título corrigido às 21h39 para precisar âmbito das buscas.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.