Assinar


Ourém

Fátima assinala na quinta-feira “aparição” de agosto, ocorrida a 19 e não a 13

A quarta “aparição” terá ocorrido nos Valinhos, nas proximidades da Cova da Iria

O Santuário de Fátima assinala na quinta-feira, 19 de agosto, a quarta “aparição” de Nossa Senhora aos videntes, que não ocorreu no dia 13 de agosto de 1917, nem na Cova da Iria, mas sim nos Valinhos.

Apesar desta circunstância, a peregrinação internacional de agosto decorre nos dias 12 e 13, como as dos restantes meses.

Imagem do recinto do santuário de fátima
A cerimónia de quinta-feira terá lugar a partir das 21h30, com a recitação do rosário e a evocação dos acontecimentos de 19 de agosto de 1917. Foto de arquivo: Joaquim Dâmaso

A quarta “aparição” terá ocorrido nos Valinhos, nas proximidades da Cova da Iria, no dia 19 de agosto, uma vez que, de acordo com os relatos da época, no dia 13 agosto o Administrador de Vila Nova de Ourém “prendeu os pequenos [Jacinta, Francisco e Lúcia] e levou-os para a vila”.

“Ali os reteve injustamente durante três dias, submetendo-os a múltiplos interrogatórios e ameaçando-os com violentos castigos. Por fim, não tendo conseguido obter deles nem a retratação da veracidade das aparições, nem a revelação do segredo, entregou-os aos pais”, segundo o relato do que se terá passado, com base nas descrições da Irmã Lúcia, acrescentando que “no domingo seguinte, 19 de agosto, Nossa Senhora tornou a aparecer num lugar chamado Valinhos”.

A cerimónia de quinta-feira terá lugar a partir das 21:30, com a recitação do rosário e a evocação dos acontecimentos de 19 de agosto de 1917.

Entretanto, de sexta-feira a domingo, o Santuário vai voltar a realizar um retiro presencial, subordinado ao tema “Sou o Anjo da Paz. Orai comigo”.

A iniciativa, promovida pela Escola do Santuário, “visa proporcionar um momento de vivência espiritual à luz da mensagem de Fátima”, informou a instituição.

“Em tempos de tribulação e dificuldade, a humanidade sempre levantou a sua voz para o alto em busca de salvação. Hoje, as circunstâncias da nossa vida evidenciam e tornam ainda mais premente esta necessidade de encontrar a paz” refere a nota de apresentação do retiro, que recorda que o papa Bento XVI se referiu a Fátima como “escola de oração”.

O retiro é orientado pelo padre Francisco Pereira, capelão do Santuário.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.