Assinar

Mulher Século XXI estende apoio a crianças e jovens vítimas de violência doméstica

O Gabinete Girassol deverá entrar em funcionamento em setembro, estendendo-se aos dez concelhos da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria

“Girassol” é o nome escolhido para o novo gabinete de apoio psicológico que a Mulher Século XXI – Associação de Desenvolvimento e Apoio às Mulheres vai dedicar, a partir de setembro, a crianças e jovens vítimas de violência doméstica nos dez concelhos da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria.

A equipa do novo Gabinete Girassol inclui três psicólogos especializados

O projeto, que irá integrar a Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica (RNAVVD), foi aprovado com um financiamento de 133 mil euros pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE) no âmbito dos “Instrumentos específicos de proteção das vítimas e de acompanhamento de agressores na violência doméstica”, e irá estender-se por 20 meses.

Assumido como uma resposta inovadora no apoio psicológico a crianças e jovens vítimas de violência doméstica, o Gabinete Girassol pretende recorrer a “metodologias de intervenção individual e/ou em grupo e baseadas em abordagens especializadas”, explica a associação em comunicado.

2.770

A associação Mulher Século XXI dedica-se desde 2001 às áreas da Violência Doméstica e da Igualdade de Género. Desde a abertura do centro de atendimento, em 2007, acompanhou 2.770 vítimas de violência doméstica. Em 2015, criou uma linha gratuita (800 210 340) de apoio às vítimas idosas, e acolheu, desde 2017, 215 mulheres e 159 menores em situação de emergência

Susana Pereira, presidente da Mulher Século XXI, destaca ainda a abrangência territorial do projeto, a desenvolver nos dez municípios da CIMRL em sinergia com outras estruturas de atendimento da RNAVVD, como casas de abrigo, serviços de Saúde e Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), entre outras.

Segundo a responsável, o Gabinete Girassol “não poderia surgir num momento mais adequado”, considerando “o contexto, nacional e internacional, marcado por um cenário pandémico que obrigou vítimas e agressores/as a confinarem juntos/as, aumentando os riscos de violência, tornando muito mais complexa a oportunidade de pedir apoio”.

Susana Pereira salientou ainda a aprovação, no Parlamento e por unanimidade, “das necessárias alterações ao regime jurídico da violência doméstica, bem como do Código de Processo Penal, por forma a incluir no estatuto de vítima de violência doméstica, as crianças e jovens que, não sendo alvo direto, assistem e retiram graves consequências destas situações”.

Em 2020, o Centro de Acolhimento de Emergência a cargo da Mulher Século XXI acompanhou 18 crianças e jovens, enquanto o Gabinete de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Leiria seguiu nesse ano 107. Entretanto, já no primeiro semestre deste ano, a associação, sedeada em Leiria, acolheu 16 crianças na resposta de acolhimento de emergência e acompanhou 51 através do centro de atendimento.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados