Assinar
Sociedade

Campanha #NãoSouDeFerro passa por Leiria com apoio do Moto Clube da Marinha Grande

Aumento da sinistralidade rodoviária envolvendo motociclistas motivou ação nacional de sensibilização por parte da GNR. A realização do Moto GP Portugal foi o pretexto

As estatísticas são claras e preocupantes. Entre 1 de janeiro e 30 de setembro, 10% dos acidentes de viação registados envolveram veículos de duas rodas a motor. Só até agosto, e de acordo com o relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, representavam 18,9% (5.472) do total de sinistros participados em 2021.

Nos primeiros nove meses do ano, 32% das vítimas mortais eram condutores ou passageiros de motociclos ou ciclomotores, assim como 29 % dos feridos graves e feridos ligeiros sinalizados.

Em Leiria, a ação decorre até ao final do dia na área de serviço da A1, sentido Norte-Sul Fotos: Joaquim Dâmaso

Este é um dos motivos que levou a GNR a lançar uma campanha nacional de sensibilização junto de motociclistas e automobilistas, aproveitando a realização do Moto GP Portugal, a decorrer no Autódromo Internacional do Algarve, e a deslocação de centenas de motociclistas de norte a sul do país para assistir à prova.

A ação #NãoSouDeFerro, que começou na quarta-feira e prossegue até domingo, passa hoje, sexta-feira, por Leiria.

A área de serviço da A1 foi o local escolhido para os militares da GNR, das valências do Trânsito e Policiamento Comunitário, abordarem os motociclistas sensibilizando-os para os principais cuidados a ter na estrada.

Estes “passam pela utilização do capacete e vestuário adequado com proteção, incluindo casaco, luvas e calçado; adequação da condução em condições atmosféricas adversas, especialmente não conduzir em excesso de velocidade; aumentar as distâncias de segurança com outros veículos, utilização de iluminação tanto de dia como de noite; e ter o veículo em bom estado de funcionamento, com destaque para o estado dos pneumáticos”, explica ao REGIÃO DE LEIRIA, Sérgio Junqueira, comandante do Destacamento do Trânsito da GNR de Leiria em regime de suplência.

“Paralelamente, sensibilizamos também os automobilistas para os principais cuidados que devem ter sobretudo no relacionamento com motociclistas”, sublinha.

Para esta ação, a GNR contou com a colaboração do Moto Clube da Marinha Grande que não hesitou em aceitar o desafio.

“Achamos que são necessárias ações de sensibilização para motociclistas mas também para automobilistas. Pessoalmente, desde que tenho carta de mota, tenho outra sensibilidade mesmo a conduzir o carro”, reconhece Ana Marques, presidente da direção.

“Nós vemos excessos de velocidade tanto duma parte como doutra, vemos manobras mal sinalizadas e por aí fora, mas há muita gente que anda de carro e não tem a consciência do que é cortar a passagem a uma mota que vem atrás ao mudar de direção. E muitos de nós, que andam de mota, andamos com excesso de velocidade e não temos tempo para reagir a estes erros dos automobilistas. Todos têm que ter mais atenção”, alerta a responsável, que tem registado um aumento de venda de motociclos.

E porque quem tem carta de carro pode conduzir motociclos até 125 centímetros cúbicos sem necessidade de carta de motociclo, Ana Marques admite que umas “aulas de condução segura” deveriam ser recomendadas.

Quanto a campanhas de sensibilização para prevenção e redução da sinistralidade, entende que deveriam sair à rua de forma mais regular, tanto para motociclos como automóveis, e não apenas em situações pontuais como a desta semana.

“A repressão não é a forma mais correta [de intervir], tem que haver sensibilização, mostrar o porquê e o que é que acontece quando fazermos certas e determinadas coisas”, acrescenta.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.