Assinar


Óbidos

Surto de gripe aviária em Óbidos não afetou trabalhadores nem outras explorações

Proteção Civil Municipal informou que foram realizadas a limpeza e a desinfeção dos espaços onde se encontravam as aves.

Foto de peru ao ar livre
foto de arquivo

O surto de gripe aviária detetado numa exploração de perus em Óbidos não afetou os trabalhadores da empresa nem aves de aviários próximos, informou esta terça-feira o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC).

Num ponto de situação, a Proteção Civil de Óbidos esclareceu que, “na sequência das análises realizadas aos colaboradores da empresa exploradora dos aviários” localizados na Avarela, no concelho de Óbidos, “todos os resultados foram negativos, não existindo a transmissão do vírus das aves para os colaboradores em contacto direto com as mesmas”.

O SMPC dá nota de que foram também realizadas análises às 13 explorações aviárias localizadas na zona de proteção, tendo sido recolhidas “mais de 300 amostras”, todas com resultado negativo.

O foco de infeção pelo vírus da gripe aviária, do subtipo H5N1, foi detetado na sexta-feira numa exploração comercial, tendo na altura sido estabelecidas zonas de restrição sanitária, incluindo uma zona de proteção e uma zona de vigilância, abrangendo, respetivamente, raios de três e 10 quilómetros em volta do local afetado.

Em comunicado, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) confirmou, no dia 25, tratar-se de “um novo foco de gripe aviária de alta patogenicidade” e que já tinha sido ativado o plano de contingência, estando na altura a ser implementadas medidas de controlo, entre as quais a inspeção do local e a “eliminação dos animais afetados”.

No ponto de situação agora divulgado, a Proteção Civil municipal acrescentou que “todas as aves positivas já foram abatidas” e que foram realizadas hoje “a limpeza e a desinfeção dos espaços onde se encontravam”.

De acordo com o SMPC, “continuam a ser avaliadas as explorações localizadas nas zonas de vigilância”, estando prevista, durante as próximas semanas, a deslocação de várias equipas do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) ao concelho “para monitorização das espécies cinegéticas, com o propósito de identificarem aves mortas ou a deambular”.

A Proteção Civil apela ainda a quem encontrar aves mortas ou a deambular para que informe de imediato o serviço através do email proteccao.civil@cm-obidos.pt ou via telemóvel (939430728).

Este é o segundo foco a ser detetado recentemente no país, depois de no início de dezembro ter sido detetado um foco de gripe das aves numa exploração em Palmela, no concelho de Setúbal.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.