Assinar


Marinha Grande

300 armadilhas para a vespa asiática instaladas na Marinha Grande

Em 2021, foram intervencionados 188 ninhos de vespa asiática no concelho.

foto de funcionários da Câmara da Marinha Grande a instalar armadilhas na cidade

A Câmara Municipal da Marinha Grande deu início, esta terça-feira, à colocação de 300 armadilhas destinadas à captura de vespa asiática – vespa velutina nigrithorax -, em todo o concelho, com especial incidência nos locais onde anteriormente tenham sido detetados ninhos, informou a autarquia em nota de imprensa.

As armadilhas instaladas permitem capturar as fêmeas fundadoras, “antes da formação de novos ninhos, permitindo a redução do número de ninhos e, consequentemente, evitar a reprodução e o aumento exponencial do número de vespas asiáticas adultas”, lê-se na mesma nota.

A Câmara apela ainda aos cidadãos que identificarem ninhos de vespa asiática que comuniquem diretamente com os serviços camarários através do telefone 244 57 33 00 ou com as respetivas Juntas de Freguesia. Podem também utilizar a plataforma eletrónica SOS Vespa (www.sosvespa.pt) ou contactar a linha SOS Ambiente, através do número 808 200 520.

Após a comunicação da existência de um ninho, e caso se confirme tratar-se de um ninho de vespa velutina ou asiática, “no prazo máximo de 24 horas, uma empresa especializada contratada pela Câmara Municipal desloca-se ao local e efetua uma intervenção no ninho, através da aplicação de um inseticida, juntamente com atrativos para vespa asiática, tratando-se de um método ecologicamente recomendável e eficaz para a destruição dos ninhos”.

No ano de 2021, foram intervencionados 188 ninhos de vespa asiática, refere ainda a autarquia.

De acordo com a mesma nota, a Vespa velutina é uma espécie não-indígena, predadora da abelha europeia (Apis mellifera), proveniente de regiões tropicais e subtropicais do norte da India, do leste da China, da Indochina e do arquipélago da Indonésia.

Os principais efeitos da sua presença manifestam-se, nomeadamente, na apicultura, por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas, e na saúde pública. “Não sendo mais agressivas que a espécie europeia, no caso de sentirem os ninhos ameaçados reagem de modo bastante agressivo, incluindo perseguições até algumas centenas de metros”, alerta a mesma nota da Câmara.

Mais informações sobre a vespa asiática podem ser encontradas em http://stopvespa.icnf.pt/ ou em www.icnf.pt.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar