Assinar


Óbidos

Jovem indiciado por violência doméstica asfixiou companheira com almofada

De acordo com o MP, o arguido “desferiu bofetadas e pontapés na vítima, apertou-lhe o pescoço e agarrou-a pelos pulsos

Foto de homem ameaçando mulher com dedo em riste
Foto de arquivo

Um jovem de 21 anos, indiciado de um crime de violência agravada, foi proibido pelo tribunal de frequentar a casa onde vivia com a vítima, no concelho de Óbidos.

Segundo uma nota divulgada na página da Internet do Ministério Público (MP) de Leiria, o tribunal considerou fortemente indiciado que o arguido, entre março e abril de 2022, “molestou física, verbal e psicologicamente a vítima, com quem vivia maritalmente, no concelho de Óbidos”.

Ainda de acordo com o MP, o arguido “desferiu bofetadas e pontapés na vítima, apertou-lhe o pescoço, agarrou-a pelos pulsos, abanou-a e empurrou-a, fazendo-a cair no chão”, além de a ter insultado e ameaçado, “deixando-a intranquila e assustada”.

Numa ocasião, segundo o MP, o homem “encostou uma almofada ao rosto da vítima e pressionou-a com ambas as mãos, provocando-lhe falta de ar momentânea”.

Após ter sido ouvido em primeiro interrogatório judicial, na terça-feira, dia 10, o jovem ficou sujeito à medida de coação de apresentações quinzenais à autoridade policial e proibido de contactar, por qualquer meio, com a vítima, “diretamente ou por interposta pessoa”.

Além disso, o arguido ficou ainda proibido de permanecer, deslocar-se e frequentar “a residência onde reside a vítima ou de frequentar locais onde esta se encontre ou se presuma que se encontre” e proibido de permanecer, deslocar-se e frequentar, sem justificação ponderosa, as imediações dos locais de trabalho da vítima e da mãe desta.

A investigação é dirigida pelo MP da 2.ª secção das Caldas da Rainha do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, com a coadjuvação do Posto Territorial de Óbidos da GNR.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.