Assinar
Sociedade

Bispo de Leiria-Fátima lembra que crianças são o “tesouro mais precioso da humanidade”

José Ornelas lembrou sofrimento das crianças ucranianas.

foto de crianças na basílica de fátima a rezar
Santuário de Fátima

A peregrinação das crianças voltou ontem e hoje ao recinto do Santuário de Fátima, após dois anos de interregno. Os mais novos participaram na celebração da Eucaristia, entregaram flores a Nossa Senhora e assistiram a uma celebração alusiva à frase “Gostei muito de ver Nosso Senhor” de Francisco Marto, o vidente de Fátima canonizado em 2017, conjuntamente com a sua irmã Jacinta, pelo Papa Francisco.

Na homilia da missa da peregrinação das crianças ao Santuário de Fátima, o bispo de Leiria-Fátima lembrou o sofrimento das crianças ucranianas, “com esta guerra que lhes mete medo, os fere, mutila e mata”, pedindo que se olhe para elas “com olhos de misericórdia”.

José Ornelas defendeu que as crianças constituem o “tesouro mais precioso da humanidade” e, por isso, devem ser “o centro das famílias” e a “esperança do mundo”.

O prelado, que é também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), exortou ainda a que se olhem para as crianças “com olhos de misericórdia, pedindo para eles e para todo o mundo o dom da Paz, da fraternidade e da justiça, especialmente para os mais frágeis e desprotegidos”.

A peregrinação das crianças ao santuário da Cova da Iria voltou, na quinta-feira e hoje, a realizar-se de forma presencial, depois de dois anos de interregno devido à pandemia de covid-19.

O reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, em declarações citadas na página da instituição na Internet, sublinhou o “momento de alegria” que representa o regresso de forma presencial, embora com um número menor de participantes que em anos pré-pandemia.

“Sabemos que ainda é um número reduzido de crianças, comparando com outros anos, mas ainda assim é um bom sinal dá-nos ânimo e diz-nos que estamos a regressar aos poucos”, disse Carlos Cabecinhas.

Com Lusa

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados