Assinar
Cultura

Fabrício Cordeiro revela “Entre o princípio e o fim”

O pianista e compositor inaugura esta sexta-feira, de agosto, a primeira exposição na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, em Leiria.

Depois da música, Fabrício Cordeiro revela criações nas artes plásticas na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira

Pinta há muitos anos, desde a escola, e o impulso nunca esmoreceu. Mas em 2021 Fabrício Cordeiro investiu mais nesse gesto para ilustar o seu livro “Bernardo e a Super Pulga” e o balanço ganha agora forma em “Entre o princípio e o fim”, exposição a inaugurar esta sexta-feira, 5 de agosto (18h), na galeria da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, em Leiria. “É a minha primeira exposição e reúne alguns dos melhores trabalhos que fiz no último ano”, conta o pintor, mais conhecido em Leiria pela atividade enquanto compositor, pianista e professor de piano.

“Pintar começou por ser um hobbie. Neste momento é uma necessidade, uma procura. Uma vontade de melhorar sempre, de desenho para desenho, pintura para pintura”, explica Fabrício Cordeiro, que mostra retratos nesta exposição. “Vão surgindo, na sua maioria, no papel. Vou tomando decisões que me conduzem a um resultado final. Uso por vezes fotografias para fazer alguns retratos mas faço-o com menos frequência”, acrescenta. Nestes rostos projeta “a expressividade, o exagero e a cor”.

Entre o pianista e o pintor, Fabrício encontra pontos de contacto: “Apesar de serem linguagens distintas, acabo por me dedicar em ambas da mesma forma”. Ou seja, “uma dedicação diária relativamente àquilo que estou a fazer, seja música ou pintura”. “Sempre me habituei a tocar piano praticamente todos os dias. Neste momento a prática da pintura e da música fazem parte do meu dia-a-dia, pretendendo sempre criar mais e melhor”, conclui.

Um dos trabalhos que Fabrício Cordeiro apresenta na exposição de estreia

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.