Filipe Pinto Loureiro, empresárioflfranca@yahoo.com
Filipe Pinto Loureiro, empresário flfranca@yahoo.com

Desde que sou pai, há 9 anos, que ouço no início de cada ano escolar “se puderem dar 5 euros para comprar material escolar…”. Já fui presidente de uma associação de pais e, agora que sou apenas pai, continuo a não gostar de ouvir esta frase. Os pais compram a lista de material pedida pela escola, os separadores de cor, os lápis HB, as tintas, a régua de 15cm, etc., e ainda têm que dar 5 euros para mais material escolar.

A escola ou associação de pais – não é suposto uma associação de pais defender o interesse de crianças… e pais? – não o deveriam fazer junto do Ministério da Educação? Da Direcção-Geral de Educação? Da autarquia? De privados?
É a pensar nisso que alio a minha actividade desportiva ao apoio a crianças desde 2008. Dois exemplos: em 2013 foi através do projecto “O Desporto é uma escola” que angariei material desportivo para 118 crianças da Escola Branca; no passado fim-de-semana participei no “km vertical” e subi à Serra da Estrela para angariar verba para que a escola possa comprar material escolar… sem pedir os tais 5 euros aos pais.

Em ambos os casos, o que foi preciso? Envolvimento e disponibilidade. Só. Algo que muitos pais não dispensam a quem procura defender o interesse dos seus filhos (e dos próprios) durante o período escolar.

No próximo ano lectivo, quando vos pedirem 10 euros, não se queixem. A culpa é toda vossa.

Escrito segundo o antigo acordo ortográfico.

(texto publicado na edição de 9 de outubro de 2014)