Assinar Edições Digitais
Cultura

Dois escritores da região falam nas Correntes d’Escritas

Os escritores Paulo Kellerman e Paulo Moreiras são convidados das Correntes d’Escritas, encontro de escritores de expressão ibérica, que decorre a partir de hoje na Póvoa do Varzim.

Os escritores Paulo Kellerman e Paulo Moreiras, com ligações à região, vão participar nas Correntes d’Escritas, o encontro anual de escritores de expressão ibérica, que decorre de 24 a 27 de Fevereiro na Póvoa do Varzim.

Sobre que vão falar nas Correntes d’Escritas?
Paulo Moreiras – Os temas das mesas são sempre uma surpresa e uma das mais fortes características deste encontro literário. No meu caso, o tema proposto é um verso de Fernando Pessoa: “Duvido, portanto penso”. Por isso irei falar sobre as dúvidas de um escritor no seu ofício de compor um romance. . Paulo Kellerman – As intervenções devem obedecer aos temas sugeridos pela organização, famosos pela sua originalidade; o tema proposto ao painel que integro é “Literatura: o inédito esforço das palavras”.
.
.
Como vão orientar as vossas intervenções?
Paulo Moreiras – Confesso que ainda não preparei a minha “intervenção”, mas já tenho algumas ideias alinhavadas. A partir da minha experiência enquanto escritor tentarei demonstrar como a dúvida é uma etapa importante no processo de criação literária e como de uma dúvida nasce, por vezes, uma certa forma de realidade daquilo que nos rodeia. Vai ser divertido, com certeza. Paulo Kellerman – Basicamente, falarei um pouco sobre o que representa, para mim, a literatura e o seu papel.
.
.
.
.
.
.
O que significa este convite e esta participação?
Paulo Moreiras – Já tinha estado nas Correntes d’Escritas em 2002, antes de publicar o meu primeiro romance, e fiquei fascinado pela forma como tratam os escritores. Estar lá agora como convidado é, acima de tudo, uma grande alegria. Além dos livros, irei estar com muitos amigos e isso é sempre bom.
.
.
Paulo Kellerman – As Correntes, pelas suas características e pelo mediatismo, são consideradas um dos mais importantes encontros literários do país e um dos mais prestigiados eventos envolvendo escritores de expressão ibérica. Estar presente representará, portanto, um orgulho mas, principalmente, uma oportunidade única de intervir e aprender, de conhecer e conviver, de descobrir e partilhar.
Vai apresentar o seu novo livro lá, “Chega de fado”. Que expectativas?
Paulo Kellerman – As Correntes são uma verdadeira montra da literatura portuguesa, não sendo por acaso que irão ocorrer mais de duas dezenas de apresentações de livros. Por isso, há algumas expectativas, nomeadamente a nível de atenção mediática e visibilidade do livro.