Select Page

População de Caldas da Rainha subiu ao palco para interpretar “Vale”

População de Caldas da Rainha subiu ao palco para interpretar “Vale”

O espectáculo “Vale” esteve no fim-de-semana em Caldas da Rainha, para duas apresentações no Centro Cultural e de Congressos (CCC), em que a população foi chamada a participar. Agora o espectáculo vai para Alcobaça.

Depois de três dias de ensaios, 53 figurantes/voluntários de Caldas da Rainha subiram ao palco no sábado e no domingo para uma experiência única, que cruza teatro, dança e música.

O desafio era participar em “Vale”, coreografia de Madalena Victorino, distinguida pela Sociedade Portuguesa de Autores com o prémio Melhor Coreografia.

Em Caldas da Rainha, a coreógrafa encontrou “um grupo muito interessante, com uma componente rica de idades. Desde meninas mais pequenas, passando por adolescentes e até alguns idosos”, referiu Madalena Victorino.

Este projecto de arte comunitária foi um recorde de participação em relação ao mesmo desafio lançado noutros locais onde o espectáculo foi apresentado. Isso permitiu à criadora do espectáculo fazer algumas novas coreografias, aproveitando também a grande dimensão do palco do CCC.

Mariana Silva, de 14 anos, foi uma dar participantes. Já com experiência artística – integra um grupo de hip hop -, gostou muito de poder aprender “outra forma de ver a dança” e do ambiente familiar que se viveu entre participantes, que puderam conhecer o CCC de uma forma diferente da de um espectador comum.

Manuela Baroso, de 48 anos, é um desses espectadores regulares na sala de Caldas. “Foi uma experiência muito positiva e interessante. Foram dias muito intensos de relações humanas e também com mensagens muito fortes da Madalena Victorino para as pessoas”, disse.

Aos 73 anos, Victor Gancho conta já com muitas participações em eventos culturais, mas este foi algo de muito diferente. “Foi uma experiência magnífica”, assumiu.

“Vale” é um projecto de criação artística regional, que parte do património dos lugares e das gentes do Vale do Tejo. Ao longo a apresentação são notórios os episódios roubados com os olhos a Alcanena, Montijo, Santarém e Sobral de Monte Agraço, que se compõem numa narrativa forte e fluida de movimentos musicais e movimentos ficcionados com os corpos e a sua voz.

Neste fim-de-semana, “Vale” é apresentado no Cine-Teatro de Alcobaça: sábado, às 21h30, domingo, às 16 horas. Os bilhetes custam 5 euros. Outras informações aqui.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Deve haver exceções na proibição de lançamento de fogo-de-artifício?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This