Assinar
Sociedade

Tribunal julga suspeito de envolvimento em homicídio de ourives

O Tribunal de Leiria começou hoje a julgar um suspeito de envolvimento no homicídio de um ourives, tendo a audiência sido marcada pelo pedido do Ministério Público para ouvir Alex Ferreira, anteriormente condenado, e considerado testemunha importante deste processo.

O Tribunal de Leiria começou hoje a julgar um suspeito de envolvimento no homicídio de um ourives, tendo a audiência sido marcada pelo pedido do Ministério Público para ouvir Alex Ferreira, anteriormente condenado, e considerado testemunha importante deste processo.

O procurador do Ministério Público (MP) considera que o testemunho do condenado poderá ajudar a fazer a ligação do arguido Manuel Messias ao crime, uma vez que ao longo das sessões, Alex Ferreira apontou Messias como o autor moral do assalto, alegando que atuou sempre às suas ordens.

A juiz presidente do coletivo, Ana Cristina Cardoso, admitiu a audição da testemunha, por “poder ter interesse para a descoberta da verdade”.

A magistrada, salientou, no entanto, que o Alex Ferreira só poderá depor “se expressamente consentir”.

Manuel Messias, que estava foragido à justiça desde 2007, começou hoje a ser julgado por suspeita de homicídio de um ourives na freguesia da Bajouca (Leiria), num processo em que já foram condenados outros três elementos.

O arguido, acusado do crime de homicídio qualificado com dolo eventual e roubo qualificado na forma tentada, foi capturado no final do ano passado.

De acordo com o testemunho de três inspetores da Polícia Judiciária (PJ) na sessão de hoje, Alex Ferreira referiu que “o Messias era o único que conhecia o local, por ter residido e trabalhado na zona” e terá sido ele a “indicar aquela ourivesaria e a dizer como deveria ser feito o assalto”, referiu um dos inspetores.

O inspetor revelou ainda que Alex Ferreira terá contado que “se encontrou com o Messias numa discoteca e disse que precisava de dinheiro”. Manuel Messias terá dito que “conhecia uma maneira de arranjar dinheiro fácil e falou-lhe na Carolina [outra das arguidas condenadas]”.

“A ideia era que a Carolina se passasse por namorada do Alex e fossem ver alianças na ourivesaria”, acrescentou o inspetor.

Neste processo estavam acusados mais três arguidos, que foram condenados pelo Tribunal de Leiria, em junho de 2008.

Alex Ferreira está a cumprir uma pena de 20 anos de prisão pelos crimes de homicídio qualificado com dolo eventual e roubo qualificado na forma tentada. Já os seus cúmplices, Sérgio Vermelho e Carolina Silva, foram condenados, cada um, a 17 anos e seis meses de prisão.

O julgamento prossegue esta tarde com a audição das testemunhas de acusação.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.