Uma das moradoras do prédio onde na madrugada de segunda-feira um incêndio vitimou três pessoas, foi detida pela Polícia Judiciária como presumível autora material de um crime de incêndio urbano, informou hoje a PJ.

A mulher, de 32 anos, foi detida pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria, e, segundo o comunicado da PJ “ terá acendido uma vela de iluminação, após o que adormeceu, provocando desta forma o incêndio”.

De acordo com a PJ “a tragédia não teve maiores proporções porque a intervenção dos Bombeiros locais permitiu o domínio do incêndio e a evacuação de várias pessoas ali residentes”.

A detida encontra-se desde as 10:00 no tribunal judicial das Caldas da Rainha para primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Fonte do Tribunal disse à Lusa que a audição está atrasada devido à necessidade de um “intérprete que traduza as declarações” e que a mesma “ deverá ser ouvida pelo Juiz de Instrução Criminal”.

O incêndio que causou três vítimas mortais, cinco feridos que receberam tratamento hospitalar e ferimentos ligeiros em duas pessoas que foram assistidas no local, foi combatido pelos bombeiros das Caldas da Rainha entre as 04:55 e as 06:00.

O fogo ocorreu na zona histórica da cidade, num prédio divido em vários espaços alugados, mas que segundo o presidente da câmara das Caldas, Fernando Costa, se encontrava em situação ilegal, sem licença de utilização.