Assinar Edições Digitais
Mercado

Grupo IKEA pode dar novo fôlego à indústria de cerâmica na região

O grupo IKEA, que mantém vários fornecedores no distrito de Leiria, pode dar novo fôlego à indústria de cerâmica utilitária e decorativa se vierem a concretizar-se dois projectos que visam a criação de novas fábricas para alimentar a marca sueca de artigos para a casa.

O grupo IKEA, que mantém vários fornecedores no distrito de Leiria, pode dar novo fôlego à indústria de cerâmica utilitária e decorativa se vierem a concretizar-se dois projectos que visam a criação de novas fábricas para alimentar a marca sueca de artigos para a casa.

Segundo apurou o REGIÃO~DE LEIRIA, a região corre para garantir duas unidades: uma de faianças e outra de porcelanas, ambas vocacionadas para o mercado externo.

O investimento seria de iniciativa local, mas suportado no compromisso de uma relação comercial de médio a longo prazo.

Enfrenta concorrentes nacionais, de outros pontos do país, mas também estrangeiros que admitem assumir o projecto em Portugal.

Este tipo de consulta aos fornecedores é frequente por parte da IKEA e decorre simultaneamente em vários países.

Ao nosso jornal, uma porta-voz da empresa refere que “Portugal e Espanha são dois mercados estratégicos onde a IKEA está continuamente à procura de oportunidades para desenvolver parcerias com novos fornecedores”.

Compra 100 milhões de euros por ano e em 2012 prevê “um acentuado aumento quer no volume de compras quer no valor contratado a fornecedores portugueses”.

A proximidade às lojas na Europa e o cumprimento das normas ambientais são vantagens face à China, por exemplo.

Se alguma destas fábricas avançar, o concelho de Porto de Mós é uma forte possibilidade. Em causa estariam 200 postos de trabalho e 80 mil m2 de área fabril.

O presidente do município, João Salgueiro, diz desconhecer o processo, mas salienta que o concelho “tem uma excelente zona industrial”.

(notícia publicada na edição de 23 de Dezembro de 2011)