Treze investigadores apresentam sábado, 31 de março, estudos sobre D. Pedro e D. Inês no âmbito de um congresso internacional que tem o seu epílogo no Mosteiro de Alcobaça.

O congresso “Pedro e Inês: o Futuro do Passado” reúne ao longo dos últimos dias investigadores e especialistas nacionais e estrangeiros de história, literatura e das num apelo à transversalidade e interdisciplinaridade de saberes

Depois de três dias em Coimbra e Montemor-o-Velho, o congresso chega ao fim no Mosteiro de Alcobaça. O amor e a tragédia de Pedro e Inês é lembrado e analisado ao longo do dia, em comunicações que vão das repercussões sociopolíticas da união às memórias, lendas, mitos e iconografias.

O congresso marca também o encerramento das comemorações dos 650 anos decorridos sobre a trasladação dos restos mortais de Inês de Castro do Mosteiro de Santa Clara de Coimbra para o Mosteiro de Alcobaça.

A cerimónia de encerramento das comemorações decorre às 17h30 de sábado, na Sala do Capítulo do Mosteiro de Alcobaça. Depois, serão inauguradas na Galeria de Exposições Temporárias “Inês Rainha – exposição bibliográfica e iconográfica”, “Relicários de Inês de Castro – pintura e desenho de Nélia Caixinha” e “7 trajes para Inês, 7 trajes para Pedro”.

Programa do Congresso Internacional “Pedro e Inês: o futuro do passado” em Alcobaça:

31 de março, Mosteiro de Alcobaça

10h – 11h – Abertura

11h – 12h
– Conferências Plenárias
“O túmulo de Inês de Castro: memória de uma rainha”, Francisco Pato Macedo, Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
“Inês de Castro e a historia da muller”, Marta González, Doutora em Historia Medieval. Deputada do Congreso dos Deputados, Madrid.

12h – 12H40 – Comunicações em Sessões Paralelas
Sessão I
“O tratamento de conservação e restauro nos túmulos do rei D. Pedro e de Dona Inês de Castro”,  André Varela Remígio, Conservador-restaurador.
“Um saque para dois túmulos”, Rui Rasquilho, Licenciado em História pela Universidade de Lisboa.
Sessão II
Manuel Vieira Natividade e a leitura iconográfica dos túmulos de D. Pedro e D. Inês de Castro”, Ana Margarida Louro Martinho, Técnica Superior do Mosteiro de Alcobaça.
“La Reine Morte – de Henri de Montherlant: um dos maiores sucessos editoriais em peças de teatro francesas do século XX”, Ana Arez, Mestre em História do Teatro e Artes do Espetáculo pela Sorbonne.

12h40 – 13h10 – Debate

14h30-15h30 – Conferências Plenárias
“O Mosteiro de Alcobaça: espaço de religião, cultura e memória”, Saúl António Gomes, Professor Associado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
“Pedro e Inês: Iconografias”, Jorge Pereira de Sampaio, Diretor do Mosteiro de Alcobaça.

15h30 -16h30Comunicações em Sessões Paralelas
Sessão I – 15h30 – 16h10
“Os túmulos de Pedro e Inês e a Educação pelo Património” – Cecília Gil, Técnica Superior do Mosteiro de Alcobaça.
“Escultura pública da Faculdade de Belas Artes em Moledo, Lourinhã” – João Castro Silva, Escultor e Professor Auxiliar na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

16h10 – 16h40 – Debate

Sessão II – 15h30-16h30
“La rueda de la tumba de Pedro I como diagrama mnemotécnico” – Elizabeth Valdez del Alano, Professora na Universidade Estatal de Montclair em New Jersey.
“Os processos de modelo/cópia e originalidade nas iconografias de D. Inês de Castro”, Carla Varela Fernandes, Bolseira de Pós-doutoramento do Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto.
“O túmulo de Inês de Castro na iconografia do culto dos Mistérios”, Isabel Costeira, Técnica Superior do Mosteiro de Alcobaça.

16h30 – 17h – Debate