Assinar
Sociedade

Radioamadores juntos em certame nacional na Marinha Grande

Imagine um cenário de crise extrema em que internet e eletricidade deixam de funcionar. Ficaremos isolados do resto do mundo? Nem por isso.

Imagine um cenário de crise extrema em que internet e eletricidade deixam de funcionar. Ficaremos isolados do resto do mundo? Nem por isso.

Os radioamadores contam com sistemas autónomos de comunicações, eles estão organizados através das Associações de Radioamadores para que nas situações mais extremas e solicitados pela ANPC com quem tem protocolos de cooperação possam dar o seu contributo e quebrar o isolamento. A ARAL conta com uma VOC (Viatura Operacional de Comunicações) que assegura a mobilidade dos comunicações para junto dos eventuais cenários de calamidade, a VOC está equipada com equipamentos de rádio que permitem fazer geolocalização, envio de mensagens,  comunicações de voz, também tem disponivel na mesma viatura equipamentos para uso das autoridades (ANPC, Controlo Aereo e Marítimo).

A Associação tem estações fixas para uso dos seus Associados na Marinha Grande (Estádio) e em Fátima que assegura as comunicações com todo o mundo através de várias bandas e modos de rádio e que pode ser usada numa situação de emergência por qualquer radioamador, revela Paulo Mendes, presidente da Associação de Radioamadores do Distrito de Leiria. “Se não existir internet ou rede elétrica, conseguimos comunicar, temos equipamento alimentado a baterias e temos vários repetidores na região que nos permitem sermos autónomos”, explica. A ARAL conta com cerca de uma centena de associados, sobretudo concentrados em estudar sistemas de comunicação e integração.

A consequência óbvia dessa investigação é a adoção das mais recentes tecnologias. Se há duas décadas os radioamadores do distrito já utilizavam o GPS para localização de radioamadores por satélite (APRS) – que só muito recentemente chegou à generalidade dos utilizadores. Atualmente é o DSTAR (comunicação de voz totalmente digital), o mais recente exemplo desse esforço de vanguarda, também o SDR (Rádio por sofware) está em grande desenvolvimento e promete baixar os custos dos equipamentos.

E o estado da arte no setor pode ser conferido dia 2 de junho no Pavilhão Municipal de Exposições da Marinha Grande. Aí vai decorrer a XIX Feira da Rádio da ARAL, a Exporádio 2012. Radioamadores de todo o país e mesmo de Espanha, são esperados no certame, assim como Revendedores, Fabricantes de material para Radioamadorismo irão marcar presença e  revela Paulo Mendes.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.