Assinar
Sociedade

Ilibado homem acusado de ter escondido armamento na capela de Sandoeira

O arguido de Ourém envolvido no caso das armas e explosivos encontrados numa capela em Sandoeira, freguesia de Rio de Couros, Ourém, foi ilibado.

O arguido de Ourém envolvido no caso das armas e explosivos encontrados numa capela em Sandoeira, freguesia de Rio de Couros,  Ourém, foi ilibado.

O acórdão lido na sexta-feira, dia 13, em Coimbra, não deu como provadas as acusações.

O suspeito era membro da Comissão Fabriqueira da Capela de S.Romão de Sandoeira e a acusação dava-o como envolvido no transporte para França de cinco homens, quatro franceses e um português, após um assalto a uma carrinha de valores em Taveiro, Coimbra, em 2009. Ter-lhes-ia dado abrigo na fuga e escondido armas e explosivos usados no crime no sótão da capela.

Segundo a agência Lusa, o juiz terá justificado a decisão por falta do “elemento material”, ainda que se tenha provado que o homem era amigo de um dos assaltantes e que teve na sua garagem um Porsche envolvido no assalto. Além disso, tinha acesso facilitado à capela.

Os outros cinco arguidos foram condenados a 12 anos de prisão, dando-se como provados os crimes de roubo, explosão e detenção de arma proibida.

No final de março de 2011 as autoridades encontraram na capela de Sandoeira cinco granadas, uma arma anti-tanque, duas espingardas de assalto Kalashnikov, uma espingarda “shotgun”, duas pistolas, além de variado material explosivo. Mais tarde foram apreendidas duas viaturas de alta cilindrada numa antiga fábrica de cerâmica, também na Sandoeira.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.