Assinar
Sociedade

Só um em cada dez automobilistas acelera nas novas autoestradas de Leiria

Os dados do tráfego da A19 e do IC36 são reveladores: a esmagadora maioria dos utilizadores continua a fugir das portagens. Até o novo IC9 está muito aquém das previsões.

Há uma monumental diferença entre o trânsito esperado nas novas autoestradas que entraram em funcionamento às portas de Leiria em
novembro do ano passado e aquele que realmente por aí passa.

Os raros utilizadores que se observam na A19 – variante ao IC2 que liga São Jorge (Porto de Mós) a Leiria – e no IC36 – que em Leiria liga a A1 à A8 – já o deixavam antever.

Contudo, os dados de tráfego recentemente tornados públicos pela Estradas de Portugal (em www.estradasdeportugal.pt) tornam claro o deserto de veículos que atravessa aquelas vias.

Em números redondos, por cada dez veículos que se aproximam da cidade de Leiria via antigo IC2 (usando a EN1 e a nova A19), apenas um escolhe pagar portagens. De facto, os dados de Tráfego Médio Diário Anual (TMDA) referentes ao mês de julho, demonstram que aos 27.620 veículos que este mês atravessaram diariamente a Via Coletora (estrada paralela à A19 na zona do Alto do Vieiro, em Leiria), correspondem apenas 2.829 veículos que usaram o troço Batalha-Leiria da A19.

Em suma, 90 por cento do trânsito opta por não pagar portagens.

Leia a reportagem completa na edição de 3 de agosto de 2012 do REGIÃO DE LEIRIA, em papel ou online.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.