Select Page

José Poças das Neves vence Prémio Villa Portela com obra sobre Arthur d’Oliveira Santos

A obra “Arthur d’Oliveira Santos. O percurso da vida de um idealista republicano (1884-1955)”, de José Poças das Neves, venceu o Prémio Villa Portela, anunciou hoje a Câmara Municipal de Leiria.

Segundo a ata onde consta a deliberação do júri, este entendeu que a obra se revela “uma biografia, inovadora dentro do contexto da investigação histórica sobre a Região de Leiria e o Concelho de Ourém, com rigoroso respeito por todas as metodologias científicas próprias da escrita da História”.

Natural de Vila Nova de Ourém, Arthur d’Oliveira Santos nasceu em 1884 e foi elemento do Partido Republicano Português. Localmente, desempenhou o cargo de presidente da câmara municipal e de administrador do concelho. Em Lisboa, foi fundador da Casa do Concelho de Ourém.

Enquanto jornalista, Arthur d’Oliveira Santos interessou-se por temas sociais, políticos gerais e, ainda, por temas históricos e etnográficos da Alta Estremadura, tendo fundado e dirigido o “Povo de Ourém”.

Entre 1929 e 1940, foi forçado a exilar-se em Espanha. Faleceu com 71 anos, no dia 27 de junho de 1955.

A abordagem de José Poças das Neves a Oliveira Santos consegue, de acordo com o veredicto do júri, abrir “perspetivas novas, muito informadas e documentadas, acerca da vida de um dos protagonistas da República, nesta região”, bem como sobre “os acontecimentos de Fátima, em 1917 e anos seguintes”.

O trabalho ajuda, por isso, ao “conhecimento e compreensão de um período e problemáticas da maior importância na História da Região de Leiria e de Ourém”.

Enquanto administrador do concelho de Ourém, Arthur d’Oliveira Santos chegou a ser acusado, no âmbito do processo de Fátima, de raptar e ameaçar os pastorinhos Lúcia, Jacinta e Francisco, o que o marcou até ao fim da vida.

“A obra em causa constitui uma visão distanciada e historicamente sólida face às problemáticas abordadas, sendo, ainda, uma investigação aprofundada sobre a vida de Arthur d’Oliveira Santos”, acrescentam os jurados Isabel Brás, licenciada em História, na variante de Arqueologia, Fernando Magalhães, professor no Instituto Politécnico de Leiria, e o historiador e professor na Universidade de Coimbra, Saul António Gomes.

O vencedor receberá dois mil euros de prémio, tendo o júri recomendado a publicação da obra à organização do Prémio Villa Portela, criado em 2010 por Ricardo Charters d’Azevedo, anterior proprietário do “chalet” histórico com o mesmo nome, em Leiria. Atualmente, o prémio é suportado e organizado numa parceria entre a Câmara de Leiria e o CEPAE – Centro do Património da Estremadura.

José Poças das Neves

Arthur d’Oliveira Santos

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda com a implementação de transportes públicos gratuitos nas cidades?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This