Select Page

Tradicional Feira de Maio abre portas esta terça-feira, dia 30

A Feira de Maio abre portas esta terça-feira, dia 30 de abril, e prolonga-se até 26 de maio Foto: CML

A Comissão da Feira de Leiria (CFL), constituída por uma dúzia de elementos de diferentes divisões do município, trabalha desde dezembro no planeamento, organização e montagem do certame, concentrada em três aspetos menos usuais: comunicação, proteção ambiental e no estacionamento dos veículos de muitas das 500 mil pessoas esperadas a partir de terça-feira, 30, entre as piscinas e o estádio municipal.

Este grupo de trabalho que, genericamente, desenvolve todas as tarefas inerentes à realização da “Feira de Leiria – Tradicional Feira de Maio”, responde agora com mais afinco pelas “inovações ao nível da imagem e conceito do evento, com o objetivo de o reposicionar no panorama regional e nacional como uma das mais importantes feiras populares de Portugal”.

A proteção ambiental tem uma importância maior em relação a edições anteriores. Por exemplo, serão colocados à venda 21 mil copos reutilizáveis [dos 50 mil com a marca Visit Leiria adquiridos pelo município], nas tasquinhas da Praça da Gastronomia – enquanto neste espaço podem ser devolvidos, a sua utilização na tenda do Palco Leiria obriga à aquisição pelo preço de um euro a unidade. Para facilitar a lavagem dos copos, haverá diversos pontos de água.

“O objetivo é diminuir drasticamente o desperdício de plástico e tornar a feira mais verde”, explica o coordenador da CFL, Ricardo Marques, adiantando que está a fazer-se um “esforço de parceria com as entidades que vendem bebidas” fora das tendas para no futuro alargar a medida a todo o recinto.

A recolha e a separação de resíduos também será reforçada, com oito ilhas de quatro a cinco contentores, bem como o número de passagens da Valorlis e da Suma, sobretudo ao fim de semana, quando se produzem mais resíduos.

Na Praça da Gastronomia, os colaboradores das 21 associações presentes têm ao dispor sacos e contentores para fazerem a separação de resíduos e há também oleões. No exterior, cem árvores dão ao recinto um ambiente mais verde.

O (bom) ambiente nos 27 dias de duração da Feira de Leiria depende também da organização dos parques de estacionamento, uma questão que preocupa a CFL desde o primeiro dia de trabalho e que conduziu à criação do Plano de Mobilidade da Feira de Leiria.

Transporte gratuito entre parques e Feira

Neste âmbito, existe uma linha de autocarro da Rodoviária do Lis gratuita entre a feira, o Mercado do Falcão (que servirá para estacionamento) e o parque da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, com uma frequência de 15 minutos, nas horas de maior procura.

A estes parques, juntam-se o da Fonte Quente, os dois da Cerâmica do Lis (todos gratuitos), estando ainda em aberto a possibilidade de a empresa Infraestruturas de Portugal ceder um terreno próximo para servir de estacionamento durante a feira.

Na perspetiva de Ricardo Marques “o problema é a mentalidade das pessoas, que não estão habituadas a estas soluções” e tendem a vir para a cidade. Para as informar das soluções existentes, há sinalização junto às rotundas aérea do LeiriaShopping e de Monte Real (EN109). A ideia é começar o circuito com poucos autocarros – cada um com 60 lugares – “e reforçar conforme a necessidade, na esperança de que seja muita”, realça o coordenador da CFL.

A comunicação é outra forte aposta da organização da Feira de Leiria, procurando defini-la à semelhança do que fazem os municípios de Viseu (Feira de São Mateus) e Aveiro (Feira de Março), reenquadrando as áreas da gastronomia e dos concertos, cujo programa está agora agregado à realização do certame.

“O objetivo é adaptar a feira, que tem uma base muito boa, e juntar-lhe mais motivos de interesse para atrair diferentes públicos e desmistificar a ideia de que só vinha determinado tipo de pessoas, tornando-a mais inclusiva e abrangente, mobilizando para Leiria público numa área entre as Caldas da Rainha e Coimbra e para o interior”, explica Ricardo Marques.

13 concertos no Palco Leiria

O Palco Leiria recebe 13 concertos e o estádio municipal é palco, no dia 11 de maio, do maior de todos: Roger Hodgson (Supertramp) e Xutos & Pontapés. Espera-se uma lotação entre 10 e 14 mil pessoas, cinco mil das quais já compraram bilhete, que custa 15 euros.

Os espetáculos dos HMB (esta terça-feira, dia 30 de abril), Blaya (24 de maio) e de António Zambujo (25 de maio) também têm entradas pagas, custando cinco euros cada ingresso. 

O programa de concertos gratuitos no Palco Leiria inclui as atuações de Bonga na sexta-feira, 3 de maio, às 22 horas, Hi-Fi (dia 4 – 22 horas), Insert Coin (dia 10 – 22 horas), Dj’s Riscas (dia 12 – 22 horas), Rua Direita e Samuel Úria (dia 17 – 22 horas), Plutónio (dia 18 – 22 horas), Augusto Canário (dia 19, às 16 horas), João Miguel com Apartirtudo (dia 21 – 22 horas), Orquestra Sinfónica de Leiria (dia 22, às 15 horas), Whales (24 de maio – 22 horas) e Elsa Gomes (25 de maio).

 

Os preparativos para a Feira de Maio estão a ser ultimados Foto: Sérgio Claro

O certame esgotou a sua capacidade, o que significa a participação de 230 expositores em stands, 24 empresas no topo Norte do estádio municipal e sete marcas de automóveis, além de representantes de veículos agrícolas

Só os fornecedores da autarquia envolvem 60 trabalhadores na montagem do certame, que dura quatro semanas. A desmontagem leva uma semana

Os visitantes têm ao dispor três zonas de sanitárias no recinto e uma no topo Norte do estádio municipal. As entradas na feira serão contabilizadas através de células. O estacionamento no interior do estádio destina-se aos participantes e organizadores

O recinto vedado tem quatro hectares e três entradas, e até inclui dormitórios para feirantes. O acesso ao certame é gratuito, bem como à maioria dos espetáculos realizados no Palco Leiria, cuja tenda tem 20 por 65 metros

A feira, que tem sete séculos de história, quer ultrapassar o meio milhão de visitantes, estimando a autarquia que tenha um impacto económico direto de cinco milhões de euros

O concerto de Roger Hodgson, que celebra os 40 anos do álbum “Breakfast in América”, e dos Xutos e Pontapés, banda que está a comemorar 40 anos de existência, implica um investimento total de 165 mil euros, mais IVA

Tendas concentram atenções

As duas tendas (Praça da Gastronomia e Palco Leiria) concentram uma grande parte da atenção dos visitantes. Este ano, o espaço dedicado aos concertos, com capacidade entre 2.500 e três mil pessoas, foi separado do ocupado pela restauração, obrigando a transferir os veículos não agrícolas para o parque da NERLEI.

A Praça da Gastronomia, destinada às associações do concelho, tem um regulamento próprio e o número de entidades presentes (21) constitui um recorde – e a procura nunca foi tão elevada. As receitas revertem exclusivamente para as coletividades, que não pagam pela presença no certame, financiarem as suas atividades.

É também nesta tenda, que mede 50 por 40 metros, que o “Mundo Rural” se destaca, com fotografias da etnografia e folclore regionais, peças do agromuseu e oliveiras. Um festival de folclore, a atuação de filarmónicas, mostras de ofícios e de artesanato são outras atividades relacionadas com o tema da feira.

É a primeira vez que o certame não é inaugurado ao sábado, o que se deve à proximidade da data de encerramento da feira de Aveiro, de onde se deslocam alguns feirantes.

A inauguração acontece esta terça-feira, dia 30 de abril e véspera de feriado, pelas 18 horas, com ligação da iluminação decorativa do recinto. Um fogo de artifício, às 21h30, e a atuação dos HMB, às 22 horas (bilhetes a 5€), marcam o programa do primeiro de 27 dias de festividades.

 

Carlos Ferreira
Jornalista
redacao@regiaodeleiria.pt

O esforço de comunicação está muito centrado nos concertos com bilheteira, onde temos algo para vender. Mas comunicamos sempre a feira, que tem uma nova roupagem em termos de desenho e cuja imagem começámos a mudar no ano passado. Este ano estamos a comunicar mais”

 

 

Ricardo Marques

Coordenador da CFL

1 Comentário

  1. Luiza

    Qual o horario da feira?

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Relatório do Parlamento propõe estudar quotas em universidades para negros e ciganos. Concorda?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This