Select Page

Sidrada chega finalmente a Leiria e com um novo sabor

Depois de ganhar o mercado nacional através das grandes capitais, a sidra feita no Bombarral tem agora um ponto de venda fixo na capital do distrito que já estreia com novidade

Demorou cerca de um ano e meio. Após receber notoriedade em feiras e concursos, de alcançar diferentes públicos – e fãs – em Lisboa, no Porto e no Algarve, a sidra artesanal feita essencialmente com frutos do Bombarral, sem resquícios de conservantes ou aromas artificiais, passou a ter um ponto de venda em Leiria.

O delay não foi por mal, garante Liliana Nóbrega. “Nesta região, apesar do potencial enorme que tem, as coisas novas às vezes custam a entrar”, relata ao observar o panorama em que viu a marca Sidrada nascer.

Mas o cenário tem-se alterado. “Os portugueses, aos poucos, já estão a começar a abrir-se”, salienta a empresária que, ao lado de Nuno Clímaco, cuidou de mudar o rumo de décadas de produção familiar, a fim de dar vazão e tirar proveito das frutas que muitas vezes eram desperdiçadas por não corresponderem a determinado padrão estético. Foi então que o casal de namorados investiu e lançou a bebida que pouco tem a ver com as sidras comerciais, habitualmente encontradas nos bares portugueses.

Com a declarada missão de investir no Centro nos próximos meses – afinal apresentam-se como “a sidra do Oeste” –, o produto faz parte, desde o fim de agosto, das prateleiras da Lisqueijo, no centro histórico de Leiria. Por ser o primeiro ponto de comercialização na capital do distrito, carrega um forte simbolismo. “Escolhemos o espaço criteriosamente”, comenta Liliana. “Tentamos ter parcerias que realmente façam sentido com o nosso produto e que a combinação também faça sentido”.

No que diz respeito à loja de queijos, a associação assemelha-se à filosofia que traçou com o namorado e sócio. “A nossa produção também é pequena. Temos a noção exata de tudo o que acontece com o produto desde que ele é plantado”, sublinha, antes de repetir o que costuma dizer a qualquer pessoa a quem apresente a bebida: “100% fruta, com a menor quantidade de açúcar possível e com menos gás”.

Sidrada passa a ser vendida na Lisqueijo, em Leiria
No mercado nacional desde 2018, a marca acumulou feitos – as sidras de uma, três maçãs e brut arremataram medalhas de prata e de ouro em concursos nacionais –; aprimorou versões – o espumante atual é o melhor de sempre, atesta Liliana –; e lançou novidades. A mais recente sabe a pera rocha e chega para alcançar outro mérito: colocar a produção artesanal de sidra portuguesa definitivamente no radar do mundo. Ao contrário dos vizinhos espanhóis ou de países como Estados Unidos e África do Sul, que já vivem a chamada craft revolution, Portugal ainda tem pouca representação aos olhos de quem entende e bebe uma boa bebida feita a partir do sumo fermentado. Algo que, se depender de Liliana e Nuno, deve mudar em breve. Sobretudo pela crescente procura e consumo que fez a produção inicial de 500 litros de Sidrada pular para 5 mil litros. “Agora é começar a espalhar pelo mundo, pela Europa principalmente, que existe aqui uma sidra portuguesa”. Com certeza.

Sidrada

sidrada.pt
Preço:De 3,50 a 8 euros
Ponto de venda: Lisqueijo – Rua Dom António da Costa, n°12, Leiria

Jessica Germano
Jornalista
jessica.m.germano@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo