Assinar Edições Digitais
Leiria

PSD sugere nove novas localizações de estacionamento em Leiria

São nove as propostas que a vereação do PSD na Câmara de Leiria apresentou na semana passada como sugestões para novos parques de estacionamento na cidade.

Quinta da Portela, bem no centro de Leiria, é um dos terrenos propostos pelos vereadores do PSD como solução para estacionar na cidade

O desafio foi lançado e os vereadores do PSD da Câmara de Leiria responderam não com uma, nem duas, mas com nove sugestões de localização para novos parques de estacionamento na cidade de Leiria. Fernando Costa explicou, na semana passada, em pormenor, as nove propostas e sugeriu que a autarquia avance com a criação destas bolsas em terrenos detidos pelo município ou por privados, com cedência da área enquanto não forem apresentados, por estes últimos, projetos de construção. Entre as localizações sugeridas estão terrenos junto à avenida Papa Francisco, na zona prevista para urbanização da Villa Portela (Quinta da Portela), no terreno em frente à urbanização Beira-Rio, numa área paralela à av. Marquês de Pombal, nas Olhalvas e nos terrenos adjacentes ao Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques. “São sugestões que não são taxativas”, referiu o vereador, em reunião de executivo, justificando que a criação de zonas de estacionamento “é urgente” e procura dar resposta a quem se desloca até ao centro da cidade, para o comércio e as várias instituições públicas existentes (nomeadamente autarquia, tribunal e Segurança Social), bem como os moradores do centro histórico. Fernando Costa mencionou ainda a possibilidade de se estudar com a direção do Colégio Nossa Senhora de Fátima a possibilidade de adaptar o terreno adquirido pela instituição para um parque de estacionamento com dois pisos, bem como a construção de um piso subterrâneo no parque junto à Escola Secundária Domingos Sequeira. O presidente da Câmara, Gonçalo Lopes, considerou “algumas das propostas pertinentes” e prometeu analisar as sugestões, devidamente enquadradas na linha de trabalho do município. Mas, a propósito do plano de mobilidade defendido para a cidade, lembrou que “as novas tendências não preveem a existência de muitos carros no centro da cidade”. MG