Select Page

Serra, o cão que guarda o “cluster” artístico da Reixida

Joana Magalhães
Jornalista
joana.i.magalhaes@regiaodeleiria.pt

O lançamento do pau é provavelmente a brincadeira mais conhecida entre cães e donos. O cão Serra até nisso é especial e não se deixa convencer pelo truque, talvez por influência da vida artística que o rodeia. De raça Serra da Estrela, o cão deu nome ao espaço artístico na Reixida, na freguesia das Cortes, em Leiria, que nasceu no final de outubro do ano passado.

Mas antes da fundação da associação Serra – Espaço Cultural, onde se juntam músicos, pintores, designers, o cão já fazia companhia aos artistas que por ali andavam.

Um dos episódios mais caricatos protagonizado por Serra é precisamente uma das últimas tentativas de lançamento do pau:

“Ele começou a correr para o ir buscar, pela primeira vez, e nós ficámos verdadeiramente felizes! Quando chegou perto do pau, nem parou, continuou a correr e foi esconder-se na casota dele”, conta ao REGIÃO DE LEIRIA Miguel Ferraz, membro da direção da associação.

“Rimo-nos bastante e concluímos que o Serra não é um cão como os outros, mas sim mais um artista deste espaço”, acrescenta.

Já com 9 anos, Serra desperta sempre sorrisos nos “tios fixes” que lhe fazem companhia todos os dias. Dar o mesmo nome à associação revelou-se uma escolha óbvia:

“Como ele sempre nos recebeu bem no seu espaço e tem um nome que se adequa à zona, revelou-se a homenagem perfeita”, diz Miguel Ferraz.

O cão pertence a uma empresa vizinha, a Moviter, e são os colaboradores que tratam dele e que lhe deram o nome.

De vez em quando, os “tios fixes” dão uns biscoitos e o Serra retribui com brincadeira. Sempre bem disposto, é um cão “muito medroso, muito amistoso e sensível”, explica Miguel.

Nos dias de maior folia, o Serra gosta de “roubar” qualquer coisa aos artistas e levar para a casota. “Ele tem uma
coleção que um dia podia dar num museu!”.

Miguel Ferraz conta ainda que esta é a maneira que Serra arranja para não se sentir sozinho nos dias em que está, de facto, sozinho.

Dos 30 membros da associação, o Serra conhece-os a todos e faz sempre uma grande festa à chegada de cada um. É um verdadeiro cão guarda e protege o espaço como ninguém.

“O Serra podia perfeitamente estar num filme de comédia, é verdadeiramente engraçado por ser tão medroso”, diz o responsável. Medos àparte, adora quando há eventos no espaço artístico, especialmente churrascos, porque trazem muitas crianças ao local e o Serra adora crianças, conforme salienta Miguel, um dos “tios fixes”.

Para descansar, o local de eleição do cão é a sua casota, onde costuma dormir. Mas nas noites de fogo de artifício, o medo fala mais alto e dorme junto aos ateliers para se sentir mais seguro.

Como diz o velho ditado – “diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és” – e talvez seja a convivência diária com artistas que torna o Serra num cão tão especial. Uma coisa é certa: naquele espaço não há quem esteja sozinho, nem artistas, nem o cão.

O cão tem 9 anos e é companhia diária dos artistas do espaço Serra

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

As autarquias deveriam aplicar coimas aos feirantes pelo lixo deixado no recinto dos mercados de rua?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo