Camas foram instaladas no interior do pavilhão, junto à sede do Agrupamento de Escolas da Batalha Foto: CMB

O pavilhão gimnodesportivo da Batalha foi transformado em “um espaço de acolhimento temporário para os munícipes e profissionais que no quadro da situação de emergência possam necessitar deste apoio”.

A medida foi anunciada esta tarde pelo município da Batalha que, na sua página no Facebook, explicou que esta ação se insere no “âmbito das medidas tomadas para contenção da propagação do Covid-19”.

Ainda de acordo com a informação da autarquia o espaço de acolhimento agora criado   “vai funcionar em articulação com as autoridades de saúde” visando disponibilizar “não só um local de alojamento”. É que também “vai ser disponibilizada alimentação e haverá acesso a balneários para cuidados de higiene pessoal”, acrescenta o município.

Haverá ainda “condições de aquecimento e instalação de suporte médico, para apoiar os utentes e minimizar possível risco de propagação do Covid-19”, salienta a mesma nota.

“Este recurso foi considerado essencial pelos Serviços Municipais de Proteção Civil para apoio de retaguarda à estratégia de prevenção da doença, conter a pandemia e salvar vidas, seja para operações de quarentena preventiva, seja para resguardo de pessoas doentes “, explica ao REGIÃO DE LEIRIA Paulo Batista Santos, presidente da Câmara da Batalha.

“Estamos a preparar-nos para os cenários possíveis, a situação ideal é que este recurso seja dispensável”, acrescenta. De acordo com o autarca, o pavilhão conta com 39 camas “para apoio direto”.

No entanto, a estas camas juntam-se “duas unidades hoteleiras locais (cerca de uma centena de camas) para suporte ao pessoal médico que preste serviço nas Unidades de Saúde Local ou no Centro Hospitalar de Leiria, conforme foi solicitado pela Delegação Distrital da Ordem dos Médicos”, revela ainda o autarca.

Nota: Artigo atualizado às 18h01 com declarações e informação adicional prestada pelo presidente da Câmara da Batalha.