Vídeo: Pedro Gameiro

“Uma linha contínua incandescente comprida” é como Pedro Gameiro descreve o corpo celeste que viu passar no céu, na madrugada de hoje, terça-feira, em Pombal.

Eram cerca das 5h45 quando viu o objeto iluminar o céu por cima da Zona Industrial da Formiga, em Pombal, e na sua passagem “ia largando o que pareciam ser fagulhas”.

O cidadão conta ao REGIÃO DE LEIRIA que “foi um momento especial” e que já tinha presenciado um fenómeno semelhante, mas com “aquela dimensão foi a primeira vez”.

Pedro Gameiro registou o momento em vídeo (em cima) e partilhou na sua página de Facebook, onde rapidamente surgiram comentários questionando se se trataria de um asteróide, um meteorito, ou outro corpo celeste.

O fenómeno foi presenciado também na zona de Fátima, pela mesma hora, por um espetador que circulava na autoestrada do Norte (A1), quando passava junto a Fátima, no concelho de Ourém, no sentido Lisboa-Porto.

André Luís Carrêlo também filmou o momento e enviou o registo à SIC Notícias, explicando que o objeto se “desintegrou no céu antes de desaparecer”.

Também em Espanha há testemunhos de cidadãos que viram passar o corpo celeste, nomeadamente nas localidades da Corunha, Córdoba e Badajoz.

Até ao momento não se sabe ao certo que fenómeno seria o da madrugada desta terça-feira, mas poderá tratar-se de lixo espacial resultante do lançamento de um foguetão russo no passado sábado, dia 25.

A informação foi avançada pelo Meteo Trás os Montes na sua página de Facebook, onde remete para explicações de um especialista.

Para amanhã, quarta-feira, espera-se a passagem de um asteróide com quase 5 mil metros de diâmetro.

De acordo com dados da NASA, o corpo celeste passará a 7 milhões de quilómetros da Terra, distância considerada relativamente próxima pelos cientistas. No entanto, não haverá razões para alarme e só será possível observá-lo com equipamentos específicos.

Denominado oficialmente como 52768 (1998 OR2), detetado por especialistas em 1998, o asteróide viajará a cerca de 31 mil quilómetros por hora.

Notícia atualizada às 11h30 do dia 29 de abril de 2020 com informações de que poderá tratar-se de lixo espacial.