A Associação Empresarial da Região de Leiria (Nerlei) revelou esta terça-feira, dia 7, que 90% de uma amostra de empresas suas associadas mantém a atividade, destacando que 7% reconverteu a produção para novos produtos.

No âmbito de uma consulta efetuada a um conjunto de associados, a Nerlei concluiu também que 10% encerraram a atividade temporariamente e apenas um não recorreu ao lay-off simplificado.

A generalidade das empresas reporta quebras no volume de negócios entre 40% a 50% e explicam que, “apesar de ainda não terem encerrado, se esta situação se prolongar, a sua sustentabilidade poderá ficar em risco”.

A informação foi recolhida junto de 61 associados, que representam um volume de negócios de 255 milhões de euros e 3.139 colaboradores. Cerca de 60% são do sector industrial e “referem que se mantêm em atividade porque estão a dar resposta a encomendas que tinham em carteira”.

Segundo a Nerlei, “alertam que, caso a situação se prolongue, poderão vir a ter quebras na atividade daqui a um ou dois meses, altura em que poderão vir a necessitar de recorrer ao lay-off, esperando que o regime, que agora vigora, se prolongue”.

Os problemas mais referidos pelas empresas são o adiamento de encomendas, quebras de faturação e incerteza, dado o carácter global da crise.

Medidas de apoio

A Nerlei explica em comunicado que a consulta aos associados “integra-se num conjunto mais alargado de medidas e ações de apoio”, que a associação lhes tem garantido, bem como “a todo o tecido empresarial e sociedade da região de Leiria em geral”.

Entre as iniciativas contam-se a disponibilização de uma linha direta para esclarecimento de questões relacionadas com o acesso às medidas de apoio lançadas pelo Governo e a concretização da reivindicação de medidas a adotar para apoio às empresas, junto de entidades como o Governo, IAPMEI, Comissão de Coordenação da Região Centro, CIP, AIP).

Entre elas, a associação destaca “a necessidade de aceleração dos prazos de reembolso de IVA, ajustamento dos prazos para cumprir os investimentos relativos aos projetos de investimento PT2020 e alteração das condições de avaliação do alcance das metas, e fomentar a manutenção dos postos de trabalho, através da redução expressiva das contribuições para a Segurança Social”.

A agilização dos pedidos de pagamento, às entidades gestoras, e de reembolso, às empresas, das verbas relativas aos apoios no âmbito dos projetos financiados pelo Portugal 2020, de forma a apoiar a tesouraria das empresas, e o envolvimento em campanhas de solidariedade, são outras áreas em que a Nerlei está envolvida.

As campanhas de solidariedade decorrem em parceria com entidades da região (CEFAMOL, APIP, ARICOP, ACILIS, CENTIMFE e o Politécnico de Leiria), com vista à recolha de equipamentos de proteção individual e de fundos que possam ser utilizados para possibilitar a sua produção, com o objetivo de os distribuir gratuitamente junto das entidades mais necessitadas, nomeadamente hospitais, centros de saúde, forças de segurança, bombeiros ou lares.