Vista aérea de Salir do Porto
Os 43 migrantes analisados residem em Salir do Porto

Os testes à Covid-19 realizados a mais de quatro dezenas de migrantes residentes na freguesia de Salir do Porto, nas Caldas da Rainha, tiveram todos resultado negativo, informou hoje a autarquia.

“Os 43 testes realizados tiveram todos resultados negativos e todos os migrantes foram liberados pelas autoridades de saúde para voltarem à sua atividade normal”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara das Caldas da Rainha, Fernando Tinta Ferreira.

 Os migrantes, de várias nacionalidades, foram testados na quinta-feira, em duas salas da União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, onde residem e trabalham, após as autoridades de saúde terem tido conhecimento de que um dos homens era proveniente do hostel de Lisboa onde foi detetado um surto de Covid-19, explicou na altura à agência Lusa o presidente da junta, Arnaldo Custódio.

De acordo com o autarca, o migrante, que integra um grupo de trabalhadores de uma exploração agrícola, já se encontrava na freguesia “desde o dia 3 de abril”, sem manifestar qualquer sintoma, “tal como acontece com os restantes, não havendo para já qualquer suspeita de infeção”.

Os resultados dos testes confirmaram hoje a não existência de qualquer caso de Covid-19 entre os migrantes oriundos do continente africano, Nepal e Índia.

Os homens trabalham em explorações agrícolas da freguesia, contratados através de uma empresa de trabalho temporário.

A autoridade de saúde local considerou hoje que “o grupo já cumpriu tempo suficiente de isolamento profilático e que todos podem voltar aos seus trabalhos”, afirmou Arnaldo Custódio.

No final de uma reunião realizada hoje com as autoridades de saúde, Segurança Social, GNR e a entidade empregadora, o presidente da junta disse à Lusa que “as condições de habitação” dos 43 homens vão também ser melhoradas.

Parte do grupo ocupa instalações de turismo rural onde a lotação é de “quatro a cinco homens por quarto com casa de banho”, condições que “não sendo as ideais foram consideradas aceitáveis”, disse.

Já numa vivenda que aloja 11 homens, as três casas de banhos atuais vão ser alargadas para “mais três e mais uma cozinha”, esclareceu o autarca.

De acordo com o último boletim de situação epidemiológica publicado pela (Comunidade Intermunicipal do Oeste – OesteCim) até às 22 horas de domingo tinham sido registados no concelho das Caldas da Rainha 26 casos positivos, dos quais nove se mantém ativos e 14 estão curados. Desde o início da pandemia há a registar três morte devido à Covid-19.