As faixas do título vão ficar arrumadas, não haverá corridas rumo às bancadas para festejar com os adeptos, nem lágrimas vertidas pela despromoção.

A época 2019/2020 vai ficar na história de vida de milhares de atletas pois não chegará ao fim.

Com as provas distritais e nacionais, de futsal e futebol, suspensas desde 10 de março, devido à pandemia de Covid-19, a Associação de Futebol de Leiria e a Federação Portuguesa de Futebol avançaram com o cancelamento de todos os “campeonatos dos escalões de formação”.

A medida apanhou alguns jogadores, dirigentes e clubes um pouco de surpresa, afinal o futebol é tudo para estes agentes desportivos, mas, de forma geral, todos concordam com a FPF ao defender que “a prioridade de pais, avós, filhos e netos deve ser, obviamente, a de se dedicarem à proteção uns dos outros e às exigências escolares, em nome do direito à proteção da saúde”, atendendo ao atual estado de emergência.

Concluídas que ficam as competições distritais e nacionais de todos os escalões de formação, não há “qualquer efeito desportivo imediato”, ou seja, “não serão atribuídos títulos nas referidas competições, nem aplicado o regime de subidas e descidas”.

O adiamento foi uma das possibilidades, mas sem uma previsão para o fim da pandemia, algo que não deverá acontecer nos próximos meses, os calendários iam depois chocar com o arranque da próxima temporada.

Haveria ainda de contar com uma segunda pré-época, já que após tanto tempo de paragem, os atletas necessitariam de retomar o ritmo desportivo.

“Nenhuma deliberação a tomar seria boa para todos os agentes desportivos e para o desejável e saudável desenrolar das competições, todavia, a AF Leiria entende ser esta a solução mais adequada fundamentada essencialmente nas determinações das autoridades, nas quais temos que confiar para que tudo corra bem em preservação da saúde e bem estar de todos”, justifica a associação de Leiria, no comunicado enviado aos clubes.

Clubes solicitam reunião com urgência

Ainda assim, um grupo de 36 clubes da AFLeiria lamenta, em comunicado divulgado no passado dia 31 de março, a forma como a AFLeiria tomou a decisão, “sem ouvir os clubes, os seus receios, as suas angústias e as suas necessidades”.

“Vivemos tempos extraordinários, em que todos temos de tomar decisões difíceis, mas temos já uma certeza: antecipar, preparar a próxima época desportiva para garantir a nossa e a vossa subsistência enquanto associação só será possível com diálogo, com discussão de ideias e com soluções abrangentes a nível financeiro, certos, que é do máximo interesse da AFLeiria que os clubes se consigam preparar para os tempos difíceis que se avizinham da melhor forma”.Comunicado subscrito por 36 clubes da AFLeiria, entre os quais a Academia CCMI, AD Pedro Roma, Casa do Benfica de Leiria, At. Marinhense, GRAP/Pousos, União de Leiria e AR Meirinhas.

“Nada será como antes, mas a Associação de Futebol de Leiria, terá certamente de mudar a forma como ouve e colhe opiniões dos seus associados”, conclui o documento, solicitando “uma reunião tão urgente quanto possível, para apresentação de propostas e discussão de assuntos do
máximo interesse (financeiros, desportivos, etc.) para todos os envolvidos” na AFLeiria.

A pensar no esforço que foi desenvolvido pelos clubes durante os últimos meses, o GD Peniche entende que a AFLeiria e a própria FPF devem repensar a decisão de cancelamento das provas.

“Decidir pelo cancelamento da competição foi adoptar a solução mais fácil, mas também mais injusta, foi enfiar a cabeça na areia e fingir que não se passou nada entre julho/2019 e março/2020. Mas passou, e muito, os clubes investiram muito (…) e sem que tivessem oportunidade de dar a sua opinião é-lhes subtraído o resultado de todo este esforço”, refere a direção do clube, numa publicação na página de Facebook.

Como solução mais justa, o GD Peniche defende “que as competições devem terminar com as classificações que se registavam à data da suspensão”. “Esta decisão, não sendo a mais desejável, concederia alguma justiça ao trabalhado desenvolvido pelos clubes e, acima de tudo, premiaria o mérito desportivo que tanto se apregoa”, indica o mesmo comunicado.

Neste caso em concreto, o GD Peniche veria a equipa júnior subir à segunda divisão nacional e o escalão de juvenis seria despromovido ao distrital.

Seniores aguardam solução nos próximos dias

Quanto às competições seniores, de futebol e futsal, ainda não é conhecia a “solução” da época. União de Leiria SAD, CD Fátima SAD, At. Marinhense, Caldas SC, Burinhosa, Amarense, Casal Velho, Golpilheira, entre muitos outros, são alguns dos clubes da região que aguardam por essa decisão.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) reuniu-se na semana passada com os líderes das associações distritais e regionais e, apesar de não ter sido “analisada qualquer proposta concreta”, foi debatido “um conjunto de cenários” e “trabalhados princípios e conceitos” que vão ter continuidade esta semana, em nova reunião, por videoconferência, com o objetivo de definir o futuro das provas de seniores.