Assinar Edições Digitais


Ansião

Covid-19: Ansião ajusta medidas de apoio à população

Linha de apoio registou mais de uma centena e meia de contactos, que resultaram no apoio a cerca de 50 munícipes.

O município de Ansião mantém em funcionamento o apoio à população mais vulnerável do concelho, movimento criado para ajudar a conter a pandemia, mas reduzindo os meios disponibilizados, pois as necessidades têm diminuído com o desconfinamento.

A Câmara de Ansião adotou “um conjunto de medidas de contenção da pandemia por covid-19”, disponibilizando “apoio social à população mais vulnerável do concelho”, mas reduziu os meios mobilizados para o efeito, uma vez que as necessidades “têm vindo a diminuir”, afirma a autarquia numa nota de imprensa.

“Em curso desde o dia 20 de março, a iniciativa ‘Nós vamos por si’ foi criada” pela Câmara para assegurar a entrega de “bens de primeira necessidade e medicamentos a seniores com mais de 65 anos e sem suporte familiar”, para promover a sua “permanência em casa”.

A linha de apoio “registou já mais de uma centena e meia de contactos, que resultaram no apoio a cerca de 50 munícipes”, refere na mesma nota.

“A equipa municipal no terreno foi, até ao final do mês de abril, constituída por seis técnicos da ação social que, em média, realizaram três visitas domiciliárias por dia”.

Mas agora a autarquia mantém apenas dois técnicos para “dar resposta às necessidades que vão surgindo, as quais têm vindo a diminuir com as medidas de desconfinamento”, explica a autarquia.

O município também tem em funcionamento, desde 26 de março e igualmente no âmbito das medidas adotadas para fazer face à pandemia, um serviço de “apoio psicológico e emocional a quem se sentir mais fragilizado, face às profundas alterações aos hábitos e estilos de vida impostas pela covid-19”.

Os cerca de 50 contactos feitos para esta linha “conduziram ao apoio emocional que está a ser prestado a quase uma dezena de pessoas”, adianta a Câmara de Ansião.

O serviço “Nós vamos por si” pode ser contactado pelos telefones 917 891 729 ou 912 360 369, enquanto a linha ‘Apoio psicológico e emocional’ dispõe dos telefones 236 672 311 e 926 375 123.