Juiz de instrução criminal no Tribunal de Leiria determinou prisão preventiva para pai (na imagem) e madrasta da menina. Foto: Joaquim Dâmaso O homicídio de Valentina Fonseca e a detenção do seu pai e da madrasta, indiciados pela prática do crime, chocou o país. A incompreensão avolumou-se desde Atouguia da Baleia, Peniche, onde viviam. Nem Francisco Moita Flores, um dos principais criminologistas portugueses, se recorda de um caso “tão macabro em 40 anos”.

Artigo exclusivo para os nossos assinantes

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar