Juiz de instrução criminal no Tribunal de Leiria determinou prisão preventiva para pai (na imagem) e madrasta da menina. Foto: Joaquim Dâmaso O homicídio de Valentina Fonseca e a detenção do seu pai e da madrasta, indiciados pela prática do crime, chocou o país. A incompreensão avolumou-se desde Atouguia da Baleia, Peniche, onde viviam. Nem Francisco Moita Flores, um dos principais criminologistas portugueses, se recorda de um caso “tão macabro em 40 anos”.