A indústria portuguesa transformou-se em poucos meses “num dos principais produtores da Europa” de equipamentos de proteção individual (EPI), ascendendo a mais de 600 milhões de euros o investimento das empresas nesta área que a pandemia catalogou de indispensável.

Artigo exclusivo para os nossos assinantes

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar