Dois estudantes da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha venceram o concurso regional Poliempreende e vão representar o Politécnico de Leiria na Madeira, na Final Nacional do concurso que pretende fomentar o empreendedorismo.

A vitória da 17.ª edição do concurso regional Poliempreende coube ao projeto “Forma Cerâmica”, da autoria de Pedro Carvalho e Sílvia Teixeira, da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR), do Politécnico de Leiria.

O projeto foi distinguido entre os 16 que chegaram à final, submetidos a concurso por cerca de 50 estudantes e professores participantes, apresentados na última sexta-feira (dia 3), via plataforma Zoom.

A ideia de negócio desenvolvida por Pedro Carvalho e Sílvia Teixeira consiste em “oferecer à indústria cerâmica vários serviços dentro do mesmo espaço, integrando todo o processo de modelação cerâmica e utilizando novas ferramentas como a prototipagem”, explicou o IPLeiria, em comunicado de imprensa.

Portugal posiciona-se entre os maiores produtores a nível mundial na área da cerâmica, mas, segundo o IPLeiria, enfrentando a “falta de profissionais qualificados para esta indústria”, o que dá sentido à aposta da dupla vencedora, que fomenta a concentração de serviços num só lugar, “contornando atuais constrangimentos afetos a questões logísticas e custos acrescidos ao longo do processo de produção”.

Os dois estudantes da ESAD.CR conquistam um prémio monetário no valor de 1.000 euros, e um ‘voucher’ no valor de 500 euros para participar no Programa de Aceleração da Start Up Leiria. Vão ainda representar o Politécnico de Leiria na final nacional do Poliempreende, que terá lugar na Madeira, em 2021.

Em segundo lugar ficou o projeto “Quicly Heal”, apresentado por Bruno Paulino, Catarina Costa e Honorata Pereira, em representação da Escola Superior de Saúde (ESSLei), do Politécnico de Leiria.

Este projeto consiste na determinação da atividade antibacteriana e antifúngica de extratos alcoólicos obtidos da planta, a fim de produzir uma solução desinfetante, isenta de iodo, que possa substituir as existentes no mercado.

O terceiro lugar foi entregue ao projeto “SnEco”, desenvolvido pelo estudante Marcos Teles, da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), do Politécnico de Leiria. Trata-se de um ‘snack’ saudável de fruta e vegetais desidratados, numa embalagem biodegradável e 100% vegan.

Lançada no passado dia 4 de março, a 17.ª edição do Polieempreende – Politécnico de Leiria contou com um total de 216 participantes e 30 ideias de negócio inscritas.

O Poliempreende é o maior projeto em rede de instituições de ensino superior, politécnicas, que pretende fomentar a cultura empreendedora.