Os municípios de Peniche, Lourinhã, Óbidos, Bombarral e Torres Vedras e o Instituto Politécnico de Leiria assinaram um protocolo com vista ao desenvolvimento do plano estratégico para o Geoparque do Oeste.

Trata-se de um passo importante para ser reconhecido como aspirante a candidato a Geoparque da UNESCO, um objetivo que as cinco autarquias têm desde 2017.

O Politécnico de Leiria e a Associação Geoparque Oeste (AGEO) assinaram ontem, dia 29 de junho, na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), um protocolo de cooperação no âmbito do projeto Aspiring Geoparque Oeste – Terras do Jurássico.

A colaboração tem como objetivo o planeamento e realização de ações conjuntas relacionadas com atividades de investigação e ensino, bem como o desenvolvimento de projetos de interesse comum.

O Aspiring Geoparque Oeste – Terras do Jurássico possui uma área territorial constituída, na sua totalidade, por 879km2, com cerca de 158.000 habitantes, e tem como missão a preservação, conservação, valorização, divulgação e dinamização do património natural e cultural, com especial ênfase no património geológico, numa perspetiva de aprofundamento e divulgação do conhecimento científico.

O projeto conta com a participação ativa do Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã, da Sociedade de História Natural de Torres Vedras e da Universidade Nova de Lisboa.

Existem em Portugal cinco geoparques, sendo que a UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura mostra abertura para a existência de mais dois ou três em território nacional, a acrescentar aos 147 atualmente existentes em todo o mundo.

Representantes das entidades que participam no desenvolvimento do plano estratégico do Geoparque do Oeste