Público tem acorrido em peso aos concertos da mais desafiante edição de sempre do festival Foto: Cistermúsica

Todos os concertos do festival Cistermúsica tiveram lotação esgotada até ao momento, num sinal de aprovação da decisão da organização, que decidiu manter a edição deste ano, adaptando-a às condições de segurança impostas a público e artistas devido à pandemia.

Realizado em diversos espaços do Mosteiro de Alcobaça (com exceção de incursões pontuais a Coimbra, São Pedro de Moel e Lisboa), esta 28ª edição arrancou 22 de julho com o número de lugares reduzido a metade para garantir o distanciamento.

Mas afluência tem sido elevada, permitindo à organização intuir que “o público está desejoso de assistir a espetáculos ao vivo, o que era a nossa convicção”.

Os responsáveis do Cistermúsica sublinham a confiança depositada pelo público no compromisso de “cumprir escrupulosamente as recomendações de saúde pública para os eventos culturais”.

Também os artistas que têm atuado no festival demonstram “alegria em voltar aos palcos”, sublinhando “a importância da música, da partilha de emoções e da proximidade com o público”, como frisou – citado pela organização – Marcos Magalhães, um dos diretores musicais, a par de Marta Araújo, d’Os Músicos do Tejo. A orquestra barroca atuou, juntamente com o fadista Ricardo Ribeiro e a soprano Ana Quintans, no passado sábado, para uma plateia repleta e rendida à prestação do projeto “Do Barroco ao Fado”.

Entretanto, vários concertos dos próximos dias estão também já esgotados. É o caso da 5ª Sinfonia de Beethoven, pela Orquestra Filarmónica Portuguesa, e do concerto “Diáspora”, pelo conjunto de música antiga Sete Lágrimas.

No conjunto da programação restam poucos bilhetes disponíveis para os vários concertos. Os últimos podem ser encontrados em www.cistermusica.com.

Há vários pontos altos previstos até ao final desta edição do Cistermúsica, que encerra em palco dia 16 de agosto, com uma versão muito intimista e especial do “Stabat Mater”, de Pergolesi, pelo acordeonista João Barradas e as cantoras Bárbara Barradas e Cátia Moreso, na Nave Central do Mosteiro de Alcobaça.

O festival terminará depois com a transmissão pela internet de uma performance da Vortice Dance Company, que interpretará “Carmina Burana” de Carl Off, cruzando dança contemporânea com videomapping. Será na noite de 19 de agosto.