A Câmara de Leiria vai reforçar os recursos humanos afetos às refeições do pré-escolar e 1.º ciclo, às atividades de animação e ao apoio à família, num investimento de 10,2 milhões de euros, anunciou hoje a autarquia.

A vereadora da Educação, Anabela Graça, anunciou, durante a reunião de executivo, que o município tem realizado um “trabalho conjunto com as direções dos estabelecimentos de ensino e com as autoridades de saúde”, para “encontrar as melhores soluções” para o desenrolar do ano letivo no contexto da pandemia de covid-19.

“Além da articulação com as escolas, reforçámos os recursos humanos afetos ao programa das refeições escolares e das atividades de animação e apoio à família do pré-escolar e 1.º ciclo”, adiantou a vereadora.

Segundo Anabela Graça, o município de Leiria vai ainda reforçar os equipamentos de proteção individual das escolas “sempre que for necessário”.

Este ano letivo, a autarquia vai investir também no ensino artístico do pré-escolar, disponibilizando o ensino da música, dança e teatro.

Numa aposta nas atividades de brincadeira, Anabela Graça anunciou ainda a valorização de espaços de recreio em várias escolas do concelho.

Durante o verão foram ainda intervencionados vários estabelecimentos de ensino, com obras de requalificação ou ampliação das instalações.

Como forma pedagógica e de sensibilização junto dos mais novos, a Câmara vai distribuir máscaras a todos os alunos do 1.º ciclo, anunciou ainda a autarca.

Todas estas medidas, entre outras, para o ano letivo 2020/21 resultam num investimento municipal de 10,2 milhões de euros, revelou Anabela Graça.

Foi ainda criado um grupo de trabalho entre diretores escolares, autarquia e autoridades de saúde, “de modo a ser mais fácil a articulação entre todos”.

Anabela Graça disse ainda que foi criado o Centro de Recursos para a Inovação das Aprendizagens, a funcionar na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, que terá o apoio técnico e pedagógico do Centro de Competência Entre Mar e Serra.

“Servirá para potenciar o investimento que o município fez recentemente em equipamentos informáticos: foram adquiridos 645 portáteis e 300 portáteis. Será uma mais-valia não só para os alunos do concelho, como para apoio de docentes na inovação das suas praticas pedagógicas”, justificou.

Anabela Graça lamentou, contudo, que não tenha conseguido dar resposta a todas as necessidades das escolas no âmbito do transporte escolar.

“Os transportes escolares assentam numa rede de transportes municipal e supramunicipal e a margem para alteração na rede é muito pequena. Foram feitos pequenos ajustes, que não correspondem às necessidades apresentadas pelas escolas, nomeadamente a possibilidade de trabalharem por turnos”.