O pedido é recorrente e foi agora, em parte, acedido. A partir desta semana a rua Barão de Viamonte, mais conhecida por rua Direita, no centro histórico de Leiria, vai passar a estar fechada ao trânsito durante o período do fim de semana.

A decisão foi anunciada hoje, 10 de setembro, na conferência de imprensa de apresentação do projeto “Viva a Rua Direita”, no pátio da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira.

O projeto de promoção e revitalização da rua no centro da cidade de Leiria prevê o encerramento da rua a partir das 17 horas de sexta-feira até às 2 horas de domingo.

Na apresentação do projeto, Anabela Graça, vereadora da Câmara de Leiria, explicou que esta será uma “ação duradoura”, mas “sempre em avaliação”, e não colocou de parte a possibilidade de alargar ou diminuir o período de proibição do trânsito na rua.

“Esta também é uma vontade nossa, mas tem de ir ao encontro do que as pessoas necessitam. Elas precisam de tempo para usufruir do centro histórico, mas também precisam das ruas para o seu negócio, cargas e descargas, e acesso dos moradores”, acrescentou a vereadora.

O vereador da Câmara de Leiria responsável pelo trânsito, segurança e prevenção rodoviária, Ricardo Santos, também presente na conferência de imprensa, esclareceu que “haverá sempre possibilidade de circulação rodoviária de moradores e de veículos para cargas e descargas”.

Além das alterações ao trânsito, o projeto “Viva a Rua Direita”, desenvolvido pela agência de publicidade de Leiria sistema4, integra outro projeto – VisiteLeiria – e conta ainda com campanhas de sensibilização para combater o ruído e o estacionamento abusivo na zona, bem como a reposição e reforço da iluminação pública.

De acordo com a vereadora do município com o pelouro do desenvolvimento económico, Catarina Louro, tem sido efetuada a limpeza de ‘tags’ e ‘grafitis’ que “não se coadunam com o conceito de arte”.

A limpeza e desinfeção das ruas e o controlo de pragas também fazem parte do projeto que pretende dar uma nova vida à rua Direita.

Está ainda prevista uma programação cultural “sem hora marcada, nem aviso prévio”, para evitar concentrações de pessoas, avançou Anabela Graça. “O objetivo são as pessoas, o seu bem estar e qualidade de vida”, completou.

As ideias para o projeto “Viva a Rua Direita” resultaram de conversas e encontros entre o município, moradores e comerciantes daquela zona.