O repertório para sopros escrito por Beethoven está registado no primeiro número de “Cadernos Filarmónicos”, coleção original que a Associação das Filarmónicas do Concelho de Leiria (AFCL) lança na sexta-feira, 2 de outubro.

A publicação celebra os 250 anos do nascimento de Beethoven com um guia criado para auxiliar atuais e futuras gerações de maestros e músicos filarmónicos que desejem interpretar estas peças do compositor.

“Este trabalho é de grande importância, uma vez que reúne as principais obras que Beethoven escreveu para sopros num único documento”, diz o diretor musical do projeto.

Alberto Roque lembra que existem já gravações de algumas destas obras, “mas são interpretações pontuais, havendo poucos CD dedicados a este repertório específico”.

O caráter original da edição leva até a acreditar no potencial de exportação, afirma o diretor da AFCL, Carlos Lopes.

“Este trabalho pode chegar lá fora. Conhecemos guias de repertório nos Estados Unidos, mas a nível da Europa não há. Não se conhecem trabalhos assim e, por isso, pode chegar lá fora, porque pode preencher uma lacuna”.

As obras foram selecionadas pela musicóloga Ana Lúcia Carvalho e o livro apresenta a explicação de todas as partituras deste repertório de Beethoven. Inclui também um disco com a respetiva gravação. No âmbito deste projeto, as partituras ficam acessíveis a músicos e bandas na extensão da biblioteca municipal instalada na sede da Leiria Cidade Criativa da Música.

Gravações juntaram 30 músicos profissionais no Teatro José Lúcio da Silva Foto: Joaquim Dâmaso

Com tradição em sopros, as 11 filarmónicas do concelho de Leiria estão representadas no CD deste primeiro número de “Cadernos Filarmónicos”, através de 30 músicos profissionais intervenientes nas gravações.

“Foi um grande desafio juntar estes excelentes músicos e dar-lhes a oportunidade de poderem, pela primeira vez, tocar juntos em palco num projeto desta envergadura”, conta o maestro Alberto Roque.

A intenção da AFCL é publicar anualmente um volume dos “Cadernos Filarmónicos”. O próximo compositor não está definido, mas a edição será igualmente dedicada à escrita para sopros, até porque “Beethoven não escreveu para saxofones” – inventado após a morte do compositor – e, consequentemente, os saxofonistas de Leiria ficaram fora deste primeiro número, onde se ouve flauta, clarinete, oboé, trompa, trompete, trombone, tuba, fagote e contra-fagote.

“A tradição das bandas de Leiria são os sopros. Somos o concelho com mais bandas filarmónicas e a qualidade também se reflete a esse nível”, diz o dirigente da AFCL.

O lançamento acontece esta sexta-feira, com concerto pelo Ensemble de Sopros da AFCL no Teatro José Lúcio da Silva, integrado no Dia Mundial da Música.

Envolvendo mais de meio milhar de músicos, as filarmónicas do concelho de Leiria têm neste projeto “um grande momento”, salienta Alberto Roque.

“A AFCL vem dar um claro sinal do que pode fazer pela cultura da região, que merece ouvir os seus talentos em ação. Os músicos sentem-se muito bem vendo o seu trabalho ser reconhecido, colaborando para um inevitável enriquecimento cultural da sociedade que os rodeia e acolhe”.