Assinar Edições Digitais


Sociedade

Criada parceria para criar polo da Escola Superior de Saúde de Leiria em Torres Vedras

Para a abertura do novo polo o município estima investir meio milhão de euros.

O Instituto Politécnico de Leiria (IPL) e o município de Torres Vedras estabeleceram na quarta-feira, dia 9, uma parceria para criar nesta cidade um polo da Escola Superior de Saúde de Leiria a partir do próximo ano letivo.

O secretário de Estado da Ciência e do Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, disse que este é o “caminho para ter mais portugueses qualificados e o país chegar a 2030 com seis em cada 10 jovens a frequentar o ensino superior”.

O município estima investir meio milhão de euros na adaptação do antigo edifício dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento para acolher o polo, estando a trabalhar no projeto para depois lançar as obras a concurso, afirmou o seu presidente, Carlos Bernardes, aos jornalistas.

Ao IPL cabe criar as condições necessárias para ministrar os cursos.

O polo deverá abrir no próximo ano letivo, com os cursos técnicos superiores profissionais de Secretariado Clínico, Alimentação Saudável e Estética e Bem-Estar, com cerca de 80 alunos.

O IPL vai propor a acreditação das licenciaturas em Ciências Biomédicas Laboratoriais e Podologia, para o ano letivo de 2022/2023, e do mestrado em Enfermagem Médico-Cirúrgica, já para o próximo ano letivo.

Com o polo, o número de alunos do IPL a frequentar cursos de ensino superior em Torres Vedras deverá duplicar de 200 para 400 dentro de dois anos, estimou o autarca.

O presidente do IPL, Rui Pedrosa, demonstrou interesse em vir a alargar os cursos em várias áreas em Torres Vedras, indo de encontro à “aposta e ao investimento do município no ensino superior”.

“A criação de um polo de ensino superior na área da saúde pretende dar resposta às necessidades formativas da região e aumentar a atratividade do concelho”, segundo o município.

O polo é também considerado fundamental para a escolha da localização do novo hospital para o Oeste, uma vez que, explicou, “além das parcerias em termos de estágios e formação contínua dos profissionais de saúde, é um polo agregador de projetos de investigação na área da saúde”.