Assinar Edições Digitais


Leiria

Politécnico de Leiria vai desenvolver nova abordagem na reabilitação cardíaca

O projeto de investigação “2ARTs – Accessing Autonomic Control in Cardiac RehabiliTaTion” obteve um financiamento de 230 mil euros da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

O Politécnico de Leiria anunciou na sexta-feira, dia 11, que vai desenvolver uma “abordagem única” em Portugal na prescrição em programas de reabilitação cardíaca, após ter obtido financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

O ciTechCare – Centro de Inovação em Tecnologias e Cuidados de Saúde do Politécnico de Leiria vai criar e testar uma nova abordagem na prescrição em programas de reabilitação cardíaca, com base na avaliação direta do sistema nervoso autónomo, refere aquela instituição de ensino superior, em nota de imprensa.

O projeto de investigação “2ARTs – Accessing Autonomic Control in Cardiac RehabiliTaTion” obteve um financiamento de 230 mil euros da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), tendo sido aprovado e classificado nos dez primeiros entre os 420 a concurso na área da Engenharia Clínica do painel de Bioengenharia e Biotecnologia, revela ainda o Politécnico.

“A atividade cardíaca é condicionada por estímulos que, em parte, dependem do sistema nervoso autónomo. Esta técnica (microneurografia), na qual fiz formação na Universidade de Bolonha, permite medir os impulsos que o coração recebe e que são enviados pelo sistema nervoso, através do registo num nervo periférico”, explicou o investigador do ciTechCare, Rui Fonseca-Pinto.

O também diretor da Escola Superior de Saúde acrescentou que a “microneurografia vai permitir aceder e registar estes ‘comandos de origem autonómica’, que são as ‘ordens’ que o sistema nervoso autónomo envia para o coração”.

Segundo o Politécnico de Leiria, em Portugal, a microneurografia não é utilizada na prática clínica, sendo atualmente apenas usada em investigação básica com modelos animais.

Em países como Itália, Suécia e Japão esta técnica é um recurso para diagnóstico de disautonomias (doenças do sistema nervoso autónomo) e investigação em humanos.

O projeto “2ARTs” surge da tese de doutoramento de Rui Fonseca-Pinto, cujo tema central foi o estudo de sinais do sistema nervoso autónomo.

“Nos últimos anos, tenho desenvolvido investigação sobre este assunto, sobretudo através de registos indiretos. Agora, já há condições para termos um laboratório para estudar doenças do sistema nervoso autónomo no ciTechCare”, afiançou o investigador.

O financiamento aprovado prevê a aquisição de equipamento e adaptação das instalações no campus 5, que permita que este Laboratório de Estudo de Disautonomias “seja uma realidade a médio prazo em Leiria”.

Além de Rui Fonseca-Pinto, enquanto investigador principal e coordenador, o desenvolvimento do projeto conta também com a “experiência e reputação” do diretor do Serviço de Cardiologia e coordenador do Centro de Investigação do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e investigador coinvestigador responsável do ciTechCare.

A equipa é composta ainda pelo cardiologista Alexandre Antunes e pelos investigadores e professores do Politécnico de Leiria Maria Guarino, Joana Cruz, Ricardo Martinho e Rui Rijo.