Assinar Edições Digitais
Covid-19

Covid-19: Arranca vacinação de utentes e funcionários de lares da região

Porto de Mós, Óbidos e Ourém iniciaram hoje, terça-feira, a vacinação em lares e unidades de cuidados continuados.

No lar da Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós, a manhã desta terça-feira, dia 12, foi uma lufada de esperança na vida dos utentes e funcionários, que começaram a ser vacinados contra a Covid-19.

De acordo com o município, hoje foram vacinadas 267 pessoas no concelho e 700 receberão a vacina da Pfizer até ao final da primeira fase de vacinação, que abrange lares e unidades de cuidados continuados em todo o país, onde não se verificam surtos.

A Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós, a Casa de Repouso Alexandrina Bartolomeu e o Solar de Santa Marta serão as próximas unidades de saúde no concelho a arrancar com a vacinação.

Segundo a Câmara de Porto de Mós, este “foi o primeiro concelho do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Pinhal Litoral, a receber e administrar a vacina Pfizer contra a Covid-19”.

Do ACES Pinhal Litoral fazem também parte os concelhos de Leiria, Marinha Grande, Batalha e Pombal.

Num comunicado, a autarquia sublinha que, apesar da vacina ser “um passo largo” para travar a Covid-19, é “principalmente através da atitude de todos que reside a possibilidade de conter a sua propagação”.

Também em Óbidos, que integra o ACES Oeste Norte, se iniciou hoje a vacinação dos utentes e funcionários de lares de idosos do concelho.

A Câmara de Óbidos refere, em comunicado, que hoje foram vacinados, com a primeira dose da vacina da Pfizer e da BioNTech, 25 utentes e 21 colaboradores do lar da Associação de Desenvolvimento Social da Freguesia de A-dos-Negros.

A partir de amanhã, quarta-feira, a vacinação será iniciada no lar da Santa Casa da Misericórdia de Óbidos, no lar Domus (Gaeiras), bem como nos lares sem alvará na Gracieira, Gaeiras e Carregal, num total de 177 idosos e 83 funcionários.

A segunda dose da vacina será administrada daqui a três semanas.

Para o presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques, o início da campanha de vacinação “é um sinal de esperança”.

O município avança ainda que o lar Palácio d’el Rei tem um surto ativo de Covid-19 e, “por esse facto, não está incluído nesta primeira fase de vacinação”.

Vacinação em Ourém é mais “um sinal de esperança”

Três mil utentes dos lares do concelho de Ourém, incluindo os lares particulares, serão vacinados até esta quinta-feira, dia 14, numa operação para travar a propagação da pandemia.

“É um sinal de esperança, de algum alívio ao iniciarmos este período de vacinação nos lares”, afirmou o presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, que marcou presença no arranque da operação de vacinação no Centro de Deficientes Profundos João Paulo II, em Fátima.

Nesta instituição foram vacinados 190 funcionários e 170 utentes. Apenas duas dezenas de pessoas, por motivos de saúde ou por opção, não são vacinadas, revelou Engrácia Marques, diretora técnica do Centro de Apoio a Deficientes João Paulo II.

“Todos sabemos que não é hoje que as situações ficarão resolvidas, terá de haver uma segunda toma daqui a três semanas, mas é um sinal importante de esperança para que possamos rapidamente voltar a ter a normalidade que todos queremos”, realçou Luís Albuquerque.

Engrácia Marques destaca que a vacina “é recebida com muita alegria, esperança, uma luz ao fundo do túnel”.

O Centro de Deficientes Profundos João Paulo II é uma instituição que acolhe pessoas com deficiência profunda.

Em Ourém estão ativos dois surtos , no lar do Centro Social da Ribeira do Fárrio e no lar do Centro Social e Paroquial de Freixianda.

Com Lucília Oliveira