Assinar Edições Digitais
Sociedade

Leiria distribuiu cobertores e edredões às pessoas sem-abrigo

Bombeiros Sapadores de Leiria disponibilizaram cobertores e edredões. A Associação Inpulsar distribuiu.

Imagem com a palavra frio escrita no gelo

Cobertores e edredões foram entregues na terça-feira a pessoas em situação de sem-abrigo em Leiria e dois destes cidadãos foram alojadas numa pensão, na sequência do frio, foi hoje anunciado.

“Foram disponibilizados cobertores e edredões pelos Bombeiros Sapadores de Leiria, que foram entregues pela associação Inpulsar, e apenas duas pessoas demonstraram interesse numa estrutura para pernoita, pelo que foram alojadas numa pensão”, disse à agência Lusa a vereadora com o pelouro do Desenvolvimento Social.

De acordo com Ana Valentim, a mais recente atualização do número de pessoas sem-abrigo na cidade de Leiria é 16.

“O número diminuiu devido ao projeto Morada Certa – Leiria Housing First”, explicou.

Em 16 de outubro de 2020, o Município de Leiria, a associação InPulsar e o Grupo Lusiaves assinaram um protocolo de colaboração do projeto Morada Certa – Leiria Housing First, para dar casa e apoio a todas as pessoas sem-abrigo na cidade.

Então, segundo a InPulsar, existiam 19 pessoas em Leiria na condição de sem-abrigo.

“No caso das duas pessoas que preferiram ficar numa pensão, estas já não regressarão à rua, pois vão ser integradas neste programa”, declarou Ana Valentim, esclarecendo que se aguarda que o alojamento esteja disponível, o que deverá ocorrer até ao final deste mês.

A autarca adiantou que são sobretudo homens as pessoas em situação de sem-abrigo em Leiria.

“Temíamos que o número aumentasse por causa da pandemia e do desemprego decorrente desta, mas o número está a diminuir devido àquele programa”, afirmou, referindo que os sem-abrigo “são acompanhados pelo Centro de Acolhimento de Leiria, Inpulsar e outras entidades da rede de parceiros coordenada pelo município”.

Para Ana Valentim, “é importante o contributo de todas estas entidades para se conseguir retirar estas pessoas da rua”.

“A questão do alojamento é fundamental, mas há outras questões, nomeadamente da saúde, que exigem a atenção de outras entidades”, salientou a vereadora, destacando que estas pessoas “têm de ter um projeto de vida que não passa apenas pelo alojamento, mas também pela saúde e mercado de trabalho”.

Na sequência do protocolo com a Inpulsar e o Grupo Lusiaves, “a primeira pessoa a integrar o programa iniciou funções em dezembro no Município de Leiria, através de um programa do IEFP [Instituto do Emprego e Formação Profissional]”, referiu.

Segundo Ana Valentim, “esta pessoa tem um alojamento e tem um trabalho e está a correr muito bem”, acrescentando que o projeto Morada Certa – Leiria Housing First apoiou até agora outras quatro pessoas sem-abrigo.

Leiria é um dos distritos que está sob aviso amarelo devido ao frio.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a persistência de valores baixos da temperatura mínima deverá manter-se até sexta-feira.