Assinar


Caldas da Rainha

Investimento de 4 ME cria 200 postos de trabalho nas Caldas da Rainha

O novo parque tecnológico vai situar-se no centro da cidade, com a instalação de várias empresas de base tecnológica e de saúde.

O novo parque Tecnológico das Caldas da Rainha, um investimento de quatro milhões de euros, deverá estar concluído em 2022 e criar cerca de 200 postos de trabalho, estima a Câmara Municipal.

Localizado numa zona central da cidade das Caldas da Rainha, no distrito de Leiria, o ​​​​​​​novo parque empresarial representa “um investimento privado de cerca de quatro milhões de euros” e “deverá estar concluído no próximo ano”, divulgou a Câmara das Caldas da Rainha.

O projeto de base tecnológica está a ser implementado na Av. Engenheiro Luís Paiva e Sousa e irá responder “aos desafios da contemporaneidade, respeitando uma mobilidade sustentável”, afirmou o vereador da Reabilitação Urbana, Hugo Oliveira, citado numa nota de imprensa da autarquia.

A localização do polo “permite aos trabalhadores deslocarem-se a pé ou de bicicleta entre a sua residência e o local de trabalho, com a mais-valia de estar apenas a dez minutos do centro da cidade, potenciando a vida familiar e criando maior circulação e oportunidade para o comércio das Caldas da Rainha”, considerou o mesmo responsável.

A Câmara estima que o projeto vá criar “cerca de 200 postos de trabalho”, com a instalação de várias empresas de base tecnológica, de saúde e um espaço de ‘co-work’ e ‘co-lab ’ [escritórios e laboratórios partilhados], destinado a toda a população.

De acordo com autarquia, as empresas já “estão sediadas nas Caldas da Rainha por razões estratégicas e de posicionamento empresarial”, passando a ter, com a mudança para o parque tecnológico, “uma diversidade de serviços essenciais para o crescimento da região neste contexto pandémico, que será fundamental para a manutenção de postos de trabalho destas empresas, assim como de muitos negócios caldenses, que aqui encontrarão os parceiros ideais”.

Em comunicado, a Câmara explicou que a localização do parque empresarial “considerou o ritmo de crescimento da cidade nos últimos anos e o reconhecimento do dinamismo do setor empresarial privado local, que opta por estar a uma curta distância dos centros urbanos, assim como dos principais acessos à cidade”.

Nesse sentido, o programa de desenvolvimento urbano da cidade prevê uma nova ponte pedonal sobre a linha do caminho-de-ferro, de acesso à Avenida 1º de Maio e à zona central, onde se situam o edifício camarário e serviços como a repartição de finanças, notários e estação dos correios, entre outros.

“Será um eixo que articula a ligação privilegiada ao parque empresarial de base tecnológica”, sustentou a autarquia.

O plano prevê ainda a construção de uma rotunda naquela avenida, em frente ao polo.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.