Assinar
Cultura

André Barros lança “Vivid”, um álbum para reviver memórias

“Vivid” está disponível em formato digital e conta com uma versão em vinil.

André Barros acaba de lançar o sexto longa-duração, que conta com dez temas Foto: Carla de Sousa

O sexto longa-duração do compositor e pianista André Barros, natural da Marinha Grande, chama-se “Vivid” e foi lançado esta sexta-feira, dia 8, nas plataformas digitais.

Composto por dez temas – seis originais e quatro relativos a músicas criadas para bandas sonoras de filmes – o disco parte da sensação de “sentirmo-nos despertos e vivos por dentro”, com uma “vontade intensa de sentir as coisas”, explica o compositor.

Esta sensação materializa-se na nostalgia associada ao álbum, sobretudo no single de destaque “Measures” (em português, “medidas”), que procura refletir sobre “com que medidas é que estamos habituados a viver a nossa vida”: se com a medida do tempo, levando a pensar que são lembranças “muito longínquas e que não voltam a acontecer” ou através do afeto e da proximidade aos amigos, tratando as memórias como algo que “também pode ser vivido agora, mas num tempo diferente”, explica, concluindo que a “relação entre emoção e lembranças depende muito da medida que usamos”.

A nostalgia é ainda evidente no vídeo desta música, que apresenta um conjunto de imagens referentes à infância do próprio compositor. O objetivo é, conta, dar também espaço ao ouvinte para “reviver as suas próprias memórias e lembranças” e sentir-se “desperto emocionalmente, de dentro para fora”. “Eu quero que a música seja uma plataforma para isso”, salienta.

Além disso, deseja que o público “olhe para o trabalho enquanto uma extensão da composição de bandas sonoras”, na qual André tem estado mais focado.

“Leda”, “Ismene back on the roof”, “Asceding” e “Walk that walk” são as músicas criadas para bandas sonoras que recuperou agora para este disco, de forma a levar os temas para fora dos filmes, “para que as pessoas os possam conhecer de outra forma”, diz.

Tal como acontece nestes singles, que incluem colaborações com vários músicos, “Measures” e “Vivid” contam com a participação de Pedro Marques, baterista dos First Breath After Coma. Tamara Kharambura junta-se também à música de lançamento do álbum, no violino.

Apresentar “Vivid” nos palcos está fora dos planos de André Barros, até porque seria necessária uma “grande logística” para dar voz aos diversos instrumentos que fazem parte do longa-duração, designadamente piano, instrumentos de corda, de eletrónica e de percussão, indica.

O disco está disponível na Bandcamp, no Youtube e no Spotify. A versão em vinil, limitada a 250 cópias, pode ser adquirida aqui.

André Barros integra o catálogo de artistas da editora Omnichord Records e conta com um vasto currículo internacional: já compôs dezenas de bandas sonoras para realizadores europeus, americanos, indianos e asiáticos e colaborou com vários artistas, como Rodrigo Leão, Valter Lobo e Myrra Rós. No campo da composição, também trabalha com outro tipo de meios audiovisuais, nomeadamente músicas para anúncios de televisão.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.