Assinar
Covid-19

Covid-19: Leiria e Porto de Mós registam novas mortes associadas à doença

A Batalha é o único concelho com diminuição de casos ativos (-21)

O concelho de Ourém é o que apresenta esta quinta-feira, dia 9, o maior número de novos infetados (58), seguindo-se Alcobaça (28) e Leiria (22), num total de 158 registados pelas autoridades de saúde nas últimas 24 horas na região de Leiria.

No município de Leiria houve mais uma pessoa que faleceu com a doença, à semelhança do que também aconteceu em Porto de Mós.

A Batalha é o único concelho com diminuição de casos ativos (-21), segundo os relatórios e comunicações das autoridades de saúde e proteção civil do distrito de Leiria, e do concelho de Ourém. No total regional, há mais 137 casos ativos.

Neste período foram confirmados 261 casos de infeção da região, com destaque para Ourém (58), Leiria (53) e Alcobaça (40). A Marinha Grande (30), Pombal (25) e Caldas da Rainha (24), são os outros municípios com ocorrências acima das duas dezenas.

Quanto às pessoas que recuperaram da doença, foram 30 em Leiria, 25 na Batalha e 19 na Marinha Grande. Seguem-se os municípios de Caldas da rainha (16), Alcobaça e Pombal (12 em cada um), além de outros, abaixo da dezena de situações. Nas últimas 24 horas registaram-se 122 recuperações na região.

Fonte: Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo e municípios. Dados acumulados desde o início da pandemia em março de 2020

Desde o início da pandemia, a região contabiliza 44.875 casos de Covid-19, havendo um total de 41.043 recuperações a registar e 954 óbitos a lamentar.

Os dados divulgados pelo REGIÃO DE LEIRIA referem-se aos 16 concelhos do distrito de Leiria e ao concelho de Ourém que, apesar de pertencer ao distrito de Santarém, mantém com Leiria grande proximidade e tem o Hospital de Santo André como hospital de referência.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.