Assinar


Covid-19

Covid-19: Utentes recorrem à urgência do hospital de Leiria para fazerem testes

Cerca de 30% a 40% da procura que os hospitais têm tido nos últimos dias são de casos não urgentes, particularmente de doentes com Covid-19, muitos deles para fazer o teste.

foto do painel exterior da urgência geral

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) está a registar a ida de utentes à urgência da Área Dedicada para Doentes Respiratórios Covid-19 (ADR-C) para a realização de testes ao novo coronavírus, revelou hoje o hospital.

O diretor clínico do CHL, Salvato Feijó, adiantou, numa nota de imprensa, que é uma “questão preocupante, que se está a verificar a nível nacional, que é o recurso dos utentes à ADR-SU, quer por referenciação do SNS24 para fazerem testes à Covid-19, quer por iniciativa própria para confirmar resultados de autotestes, ou com sintomas ligeiros de Covid-19”.

“Na última semana temos registado um aumento médio de quatro atendimentos por dia”, salientou, ao referir que a “percentagem de atendimentos de casos pouco e não urgentes manteve-se acima dos 36,4% na primeira quinzena de dezembro”.

Salvato Feijó reforçou que o “recurso aos serviços de urgência de forma inadequada é um problema comum em diversos países e Portugal é pior do que em muitos países, sendo uma preocupação constante, e motivo de reflexão dentro do SNS [Serviço Nacional de Saúde]”, principalmente quando se constata “que, ano após ano, as melhorias são pouco significativas”.

“Importa assim, e cada vez mais, a articulação entre os níveis de cuidados, já que, segundo estudos já realizados, quanto melhor for essa articulação, menor será o recurso indevido da população aos serviços de urgência”, acrescentou o diretor clínico, que relança um novo apelo para que os utentes não urgentes evitem o recurso ao serviço de urgência em casos pouco e não urgentes.

Segundo Salvato Feijó, “o Serviço de Urgência Geral do CHL continua a ter uma percentagem muito significativa de utentes não urgentes e doentes pouco urgentes”, o que “dificulta a resposta efetiva aos doentes que necessitam de cuidados de saúde”.

“A ida à Urgência sem indicação médica e em casos não urgentes propicia a acumulação de pessoas nos serviços, o que gera o aumento anormal dos tempos de espera”, advertiu.

O CHL aconselha, portanto, a que os utentes não urgentes recorram à linha SNS 24 (808 24 24 24), disponível 24 horas por dia, todos os dias, bem como aos cuidados primários, dirigindo-se ao seu centro de saúde para serem assistidos pelo médico de família ou para serem observados na consulta aberta.

Os serviços de urgência dos hospitais têm registado “procuras recorde” nos últimos dias, em grande parte casos não urgentes, devido à “falência” das outras respostas do sistema de saúde, disse à Lusa Xavier Barreto, vogal da direção da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares.

Segundo o responsável, 30% a 40% da procura que os hospitais têm tido nos últimos dias são de casos não urgentes, particularmente de doentes com Covid-19, muitos deles para fazer o teste.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar