Assinar
Mercado

Politécnico de Leiria associa-se ao movimento Digital Valley na área dos jogos digitais

A criação de um cluster nacional nesta área “visa o aumento da visibilidade e o acesso a linhas de apoio e a redes de investimento”

Carlos Mora, Rui Pedrosa e Gorete Lopes, assinaram o protocolo

O Politécnico de Leiria associou-se ao movimento Digital Valley, que pretende “promover a estreita ligação entre formação, indústria e Governo e todas as entidades que determinam o crescimento e o sucesso da indústria de jogos digitais em Portugal”.

A criação de um cluster nacional nesta área “visa o aumento da visibilidade e o acesso a linhas de apoio e a redes de investimento, através do estabelecimento de protocolos entre unidades de formação e empresas internacionais de jogos digitais, e mediante a participação em projetos”, explica o Politécnico de Leiria.

Neste âmbito, a instituição de ensino assinou um protocolo de colaboração com o movimento Digital Valley, criado pela Techframe, no início de abril, em Lisboa. “Este protocolo é muito importante porque é o reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido, bem como do investimento na qualidade dos professores, técnicos e investigadores, e nas infraestruturas pedagógicas e científicas, em particular no âmbito da licenciatura de Jogos Digitais e Multimédia”, refere o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa.

Por outro lado, permitirá à instituição de ensino “integrar um movimento que tem uma elevada massa crítica e posicionará Portugal de um modo distintivo na área dos jogos digitais. O movimento abrirá novas oportunidades, nomeadamente na área dos ‘serious games’, mas também na utilização das estratégias de ‘gamificação’ associadas a processos de aprendizagem mais ativos e atraentes em múltiplas áreas de conhecimento”, adianta Rui Pedrosa.

Além do desenvolvimento e consolidação de um cluster nacional, o protocolo pretende ainda a “promoção de formação profissionalizante qualificada de quadros, a nível de cursos não conferentes de grau, suportada em agentes fora do sistema de ensino superior público ou privado, com vista à disponibilização de mão de obra especializada para o sector dos Jogos Digitais”.

A participação na definição de pacotes de formação de ensino superior, cursos técnicos superiores profissionais, licenciaturas ou mestrados, vocacionados para o desenvolvimento, promoção, comercialização ou exploração de jogos digitais, quer a nível da sua estrutura curricular, quer a nível dos seus conteúdos, é outro dos objetivos.

No âmbito do protocolo pretende-se ainda “potenciar condições para a realização de investigação científica, a nível de mestrados ou doutoramentos; promover a divulgação e disseminação de conhecimento e boas práticas no desenvolvimento de jogos digitais; sensibilizar a opinião pública para o potencial de empregabilidade e o interesse económico, tecnológico e estruturante do sector dos jogos digitais.

A organização de eventos nacionais e internacionais transversais ao sector, com o objetivo de consolidar o posicionamento desta atividade em Portugal e perante os mercados internacionais, atraindo o potencial de investidores e de indústrias nesta área, e a criação de uma marca forte e diferenciadora para os jogos digitais em Portugal, também se enquadram no protocolo.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar