Assinar
Caldas da Rainha

Subchefe dos bombeiros de Óbidos morre durante combate a incêndio

O ministro da Administração Interna já endereçou “sentidos pêsames à família, aos amigos e ao corpo de bombeiros voluntários”

Joaquim Dâmaso

Um bombeiro morreu na tarde desta quarta-feira, dia 17, “vítima de uma doença súbita”, quando combatia um incêndio em Landal, nas Caldas da Rainha.

Trata-se de Carlos Alberto Ferreira Antunes, subchefe do Corpo de Bombeiros Voluntários de Óbidos, de 52 anos, e segundo avançou a corporação, o falecimento aconteceu na “sequência de um enfarte agudo de miocárdio”.

Era o condutor de uma viatura florestal de combate a incêndios e foi um dos primeiros operacionais a chegar ao local. Ainda recebeu assistência de colegas, mas não resistiu e o óbito foi declarado.

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, já endereçou “sentidos pêsames à família, aos amigos, ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Óbidos e a todos os bombeiros e agentes de proteção civil que combatem os incêndios em Portugal”.

Numa nota de pesar, o governante afirma que recebeu “com muita tristeza a notícia” e “neste momento de tristeza e de consternação para todos os portugueses” deixa, em nome do Governo, “uma palavra de profunda gratidão a todos os homens e mulheres que colocam a sua vida em risco para defender a vida dos seus concidadãos, dos seus bens e do património natural do nosso país”.

“A forma generosa e altruísta com que integram este esforço nacional de defesa da floresta contra os incêndios merece o nosso mais sentido reconhecimento”, conclui a nota de pesar assinada por José Luís Carneiro.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também apresentou “as mais sentidas condolências à família do bombeiro Carlos Alberto Ferreira Antunes, falecido ao serviço da comunidade, e à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Óbidos a que pertencia”.

O Presidente da República “tenciona estar presente nas cerimónias fúnebres”, refere uma nota publicada no site da presidência.

O Corpo de Bombeiros de Óbidos, num comunicado divulgado na Internet, destaca o falecido como “um dos melhores operacionais, um dos que mais disponibilidade dava ao corpo de bombeiros, um dos que estava sempre presente para ajudar e tantos, mas tantos, incêndios ajudou a extinguir”.

“Faleceu a fazer o que mais amava na vida, vitima de doença súbita, sendo nosso dever honrar a sua morte, através da continuidade da prestação do socorro a quem mais precisa de nós, com a mesma disponibilidade, altruísmo e abnegação com que o subchefe Carlos Antunes o fez durante os mais de 35 anos que dedicou à causa dos bombeiros”, adianta a nota.

As chamas deflagraram pelas 13h45 numa zona de povoamento florestal e pelas 17h00 estavam no terreno 243 operacionais, apoiados por 69 viaturas e oito meios aéreos.

O vento está a dificultar o combate e o incêndio, que não está controlado, dirige-se para a localidade de Abuxanas, no concelho de Rio Maior, não havendo para já casas em perigo”, disse uma fonte do Comando de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.

O incêndio deflagrou na localidade de Rostos, na freguesia do Landal, mas, segundo a mesma fonte, “as chamas alastraram ao concelho de Rio Maior”.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados