Assinar Edições Digitais

Leva se quiseres: Arrepios POP

A palavra “intelectual” causa-me arrepios. Intelectual será aquele que pensa na procura de novos caminhos (destes gosto).

Tiago Granja Carvalho, bancário tiagogranja2000@gmail.com

A palavra “intelectual” causa-me arrepios. Intelectual será aquele que pensa na procura de novos caminhos (destes gosto). Mas também podem ser aqueles que repetem informação à espera de palmas ou cachê. Estes normalmente apoiam-se no seu grau académico e no seu habitat político. A “autoridade” política e pseudocientífica com que se afirmam parece que chega para legitimar a sua própria existência. Não trazem ideias novas, adoram explicar o passado e recitam receitas partidárias em jeito de pregação. São os intelectuais POP. A sua popularidade dá-lhes o poder de formatar ideologicamente o povo para que mais facilmente se adapte às “inevitáveis” mudanças sociais com que são confrontados. São modificadores de estados emocionais.

A velocidade com que o mundo se modifica é vertiginosa e, ao contrário do passado, já não é consequência de reflexões filosóficas profundas mas da indústria de geração de consumidores que é mais rápida a modificá-lo. O tempo necessário para se questionar o caminho já não é compatível com a rapidez com que o caminho se altera. É esta diferença de velocidades que temos de percecionar e colocar em causa para nos libertar da hipnose coletiva. Dentro de cada um de nós temos um “intelectual” e um “consumidor”. Qual deles alimentamos mais?

(texto publicado a 27 de junho de 2013)